Talibã volta a Cabul: ‘Força não foi capaz de defender o país’, diz secretário de Estado dos EUA

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, disse que a chegada do Talibã a Cabul, no Afeganistão, aconteceu mais rápido do que o previsto.

“O fato é que vimos que a força não foi capaz de defender o país”, disse Blinken. “E isso aconteceu mais rapidamente do que prevíamos.”

 

Tropas americanas começaram a deixar o país em abril, 20 anos depois da invasão após os ataques de 11 de setembro de 2001. Neste domingo (15), o presidente Ashraf Ghani deixou o Afeganistão (especula-se que ele tenha ido para o Tajiquistão), e o grupo extremista disse que tomou o palácio presidencial.

À rede de televisão americana CNN, Blinken disse que Washington investiu bilhões de dólares, durante quatro gestões de presidentes dos EUA, nas forças do governo afegão, dando a eles vantagens sobre o Talibã. Mas, ainda assim, de acordo com Blinken, não conseguiram impedir o avanço do grupo.

Antes do previsto

 

O Talibã avançou rapidamente depois que a maior parte das forças lideradas pelos EUA deixaram o país em julho, e a queda de Cabul ocorre antes do previsto pelas autoridades norte-americanas.

Segundo a agência de notícias Reuters, a estimativa dos serviços de inteligência norte-americanos era de que o Talibã chegaria a Cabul em setembro, com uma possível tomada do poder em novembro.