Medalhista mais velho da história no futebol masculino, Daniel Alves recebe fila de mexicanos para foto

Daniel Alves se renova a cada conquista. E são muitas. Com a vitória do Brasil sobre a Espanha por 2 a 1 na final das Olimpíadas de Tóquiochegou a 42 títulos no futebol profissional, ampliando seu recorde histórico. Além de comemorar como um menino o título no meio do grupo de bem mais jovens companheiros, teve a energia recarregada também pelos mexicanos. Com a medalha de bronze no peito, os derrotados pela seleção na semifinal formaram fila para tirar foto e ter registro com o ídolo depois da cerimônia do pódio. Emocionado, o lateral agradeceu a vibração e a torcida do povo brasileiro.

Aos 38 anos e 93 dias, Daniel Alves se tornou o mais velho a conquistar medalha no torneio masculino de futebol em toda a história das Olimpíadas.

– Eu tinha falado antes que, por mais história que a gente tenha, mais vivência, era virgem nesse aspecto. Vir aqui pela primeira vez e voltar com o prêmio maior… Este momento, não tem como explicar, fogem as palavras. Estar aqui no maior evento do mundo, onde estão os melhores do esporte. A gente sentia que recebia a energia de uma nação, que está atravessando momento difícil – disse.

Daniel lembrou das origens e disse que a conquista seria difícil, mas que sempre acreditou.

– Poder estar representando a minha Bahia, o meu Nordeste, é muito incrível. Gostaria de compartilhar isso com todos eles, gostaria de agradecer todos que acreditaram em mim. Graças ao grande trabalho feito, a Deus, conseguimos realizar um sonho. Não só por ser um atleta olímpico, mas subir na parte mais alta do pódio. Sabíamos que a luta ia ser muito difícil, mas que ia valer a pena. É um momento indescritível, que temos que desfrutar. Temos que comemorar essa honra de colocar uma medalha no peito – comentou o jogador.

 — Foto: Arte ge