Escola Licurgo de Oliveira Bastos é campeã geral do Jeres; 36ª edição dos Jires reunirá 3,5 mil alunos

A  36ª edição dos Jires (Jogos Escolares Infantis) da Rede Municipal de Ensino (Reme) iniciou nesta segunda-feira (30) e contará com a participação de 3,5 mil alunos na faixa etária de dez a 12 anos. A abertura aconteceu na Escola de Tempo Integral “Iracema Maria Vicente” e contou com a presença do prefeito Marquinhos Trad e da secretária municipal de Educação, Elza Fernandes.

Na ocasião também foi realizada a cerimônia que marcou a final dos Jeres (Jogos Escolares da Reme), que este ano reuniram 4,5 mil alunos na faixa etária de 12 a 14 anos. A escola campeã foi a “Professor Licurgo de Oliveira Bastos. Em segundo ficou a escola “Doutor Eduardo Olímpio Machado” e o terceiro lugar foi conquistado pela escola “Adair de Oliveira”.

Publicidade

O prefeito Marquinhos Trad agradeceu aos pais por apoiarem a participação das crianças nas competições esportivas da Reme. “Agradeço muito às famílias presentes que cuidam destas crianças enquanto eles não estão sob os nossos cuidados. É uma festa muito bonita, de muita alegria, mas tudo isso se deve ao esforço de inúmeros profissionais que realmente amam a Educação e a prática desportiva”, afirmou.

O objetivo das duas competições é promover um intercâmbio social e esportivo entre as unidades de ensino da rede pública municipal, revelando novos talentos e incentivando os participantes ao seu progresso dentro da modalidade, valorizando o trabalho realizado pelos professores, alunos e unidades escolares.

A secretária municipal de Educação, Elza Fernandes falou do empenho dos profissionais em treinar os alunos para os jogos esportivos realizados durante o ano. “Sem o comprometimento de toda a equipe, nada disso seria possível. Tenho muito satisfação em dizer que este ano o projeto atende 38 mil alunos com 21 modalidades esportivas. Tudo isso só acontece por causa da parceria com os diretores das escolas que trabalham para as escolas brilharem em todos os nossos eventos”, frisou.  

O chefe da Divisão de Esporte, Arte e Cultura da Reme, Marcos Antônio Lopes, também agradeceu a parceria com os diretores das escolas e destacou o apoio da gestão. “É muito gratificante ver esse projeto crescer e fazer sucesso. Agradeço também ao empenho dos técnicos da Deac, que não medem esforços para realizar e buscar inovações para os jogos”, pontuou.

Os Jogos Infantis da Reme foram criados para atender alunos que participam do projeto Esporte Escolar, que este ano irá envolver as modalidades de voleibol, basquetebol, handebol, futsal, ginástica rítmica e artística, judô, tênis de mesa, caratê, atletismo, jogos de damas, e xadrez, que são desenvolvidas por professores da Deac no contra turno do ensino regular com a proposta de contribuir para a formação integral das crianças.

Emoção e expectativa

A professora de Educação Física, Tais de Oliveira Matos, que este ano treinou o time de basquete feminino da escola Marina Couto Forte, disse que o primeiro lugar das alunas deixou toda a escola emocionada. “Não tínhamos pego nenhuma classificação antes disso e aos poucos fomos fazendo um trabalho com amistosos até chegar ao primeiro lugar na modalidade. Não tenho palavras para definir o sentimento”, pontuou.

Integrante do time de basquete campeão, a aluna Ana Carolina Gonçalves Vieira,14, contou que pratica o esporte há pouco mais de um ano e gostou da experiência de participar dos Jeres. “Adoro treinar porque para mim o esporte serve para esquecer os problemas. Meus pais me apoiam muito”, ressaltou.

Aluno da escola “Iracema de Souza Mendonça”, Guilherme dos Santos Lescano, 14, disse ter ficado orgulhoso em conquistar o primeiro lugar na modalidade vôlei junto com a equipe da escola. “Essa vitória me incentivou a melhorar meu desempenho no próximo ano. Deixei muitas coisas de lado para treinar e fiquei feliz em atingir minha meta. Estou muito orgulhoso, porque nossos professores acreditaram na gente nos prepararam bem”, disse.

Apesar de ser veterano nos Jires, o aluno Edgar Prudêncio de Oliveira, 10, disse estar ansioso para defender a escola “Nerone Maiolino’ no caratê. Praticante do esporte há um ano e meio, ele já coleciona seis medalhas. “O caratê me ajuda muito a ficar concentrado nos estudos porque não quero perder a chance de praticar por isso preciso garantir minhas notas”, ressaltou.

Também aluna da escola Nerone, Fabiane Amorim Veloz, 11, conta que a escola é sua segunda casa. “Pratico caratê todos os dias porque ajuda a controlar o estresse”, destacou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui