Trechos de PEC do Orçamento penalizam servidores públicos com renda já comprometida, defende Fábio Trad

O deputado federal Fábio Trad (PSD/MS) postou um vídeo nas redes sociais manifestando-se contra trechos da chamada PEC do Orçamento Paralelo (PEC 10), que tramita em regime de urgência no Congresso e que, segundo ele, penalizaria os servidores públicos municipais, estaduais e federais, civis e militares, que já tem seu orçamento mensal praticamente comprometido.

Ele se refere às emendas 4 e 5, apresentadas por integrantes do Partido Novo, que buscam reduzir em 25% os salários e a jornada de trabalho dos servidores públicos de todos os Poderes que recebem rendimentos superiores a R$ 6 mil. O deputado defende um piso mais elevado, na ordem dos R$ 20 mil ou R$ 25 mil. Os recursos advindos desta redução na folha de pagamentos seriam, então, direcionados pela Câmara dos Deputados às ações de combate à Covid-19.

“Essa redução salarial muito ampla e generalizada, na verdade, obedece uma lógica privatista que busca enfraquecer o serviço público no Brasil e isso nós não podemos admitir. Temos de fortalecer a qualidade do serviço público brasileiro”, advertiu Trad.

Em tom de desagravo, o parlamentar questionou a contribuição dos bancos privados junto às autoridades públicas no combate à pandemia.

“Eu pergunto: por que estes parlamentares (que apresentaram as emendas) não fizeram em relação aos bancos, em relação às empresa que tem um patrimônio líquido acima de 1 bilhão de reais. Empresas como, por exemplo, Bradesco e Itaú lucraram, cada uma, R$ 20 bi por ano nos últimos três anos. Por que estes não entram nesse processo de sangramento coletivo”?