Rejeição à PEC da imunidade une líderes de diferentes partidos no Senado

BRASÍLIA – Em meio a dificuldades para conseguir votar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da imunidade parlamentar na Câmara, senadores indicam que o caminho deve ser ainda mais difícil na outra Casa Legislativa. Líderes de diferentes correntes políticas argumentam que o momento não é apropriado e o assunto não é prioritário.

O líder do PSD, Nelsinho Trad (MS), que representa a segunda maior bancada da Casa, avaliou que o tema não deve nem sequer ser pautado no Senado.

— Eu acho isso um absurdo, numa situação em que o Brasil está vivendo de pandemia, com várias pautas mais importantes, gente morrendo por falta de oxigênio e uma matéria como essa para poder privilegiar uma casta de privilegiados. Pelo amor de Deus, onde vamos parar desse jeito? Depois falam mal dos políticos e não sabem o porquê. Eu vou ser contra o encaminhamento de pautar isso dentro da Casa — declarou Trad ao GLOBO.