Príncipe Harry pediu permissão à rainha Elizabeth para chamar filha de Lilibet, revela site

O príncipe Harry decidiu pedir a autorização de sua avó, a rainha Elizabeth II, para chamar sua primeira filha com Meghan Markle de Lilibet Diana. A informação é do veículo americano Page Six.

Como Lilibet é o apelido que alguns membros da família real britânica dão à monarca de 95 anos – uma das pessoas a chamá-la assim era o marido dela, o príncipe Philip, por exemplo –, o duque de Sussex achou melhor conversar com a avó antes de homenageá-la no nome da sua recém-nascida. De acordo com o site, fontes ligadas à realeza confirmaram que “Harry absolutamente buscou permissão” e “ligou para a rainha Elizabeth II antes da esposa dele, Meghan Markle, dar à luz” num hospital da Califórnia, nos Estados Unidos, na última sexta-feira (4).

Em um comunicado, o duque e a duquesa de Sussex anunciaram que “Lili foi nomeada como sua bisavó, a Sua Majestade, a Rainha, cujo apelido de família é Lilibet”. O casal também apontou que o nome do meio da criança foi dado em homenagem à mãe de Harry, a princesa Diana, que faleceu em um acidente de carro em 1997.

Rainha Elizabeth II e príncipe Harry em maio de 2019 (Foto: Getty Images)
Rainha Elizabeth II e príncipe Harry em maio de 2019 (Foto: Getty Images)

Princesa Diana (Foto: Getty Images)

Princesa Diana (Foto: Getty Images)

Após a notícia do nascimento da bebê, um representante do Palácio de Buckingham declarou: “A rainha, o príncipe de Gales e a duquesa de Cornwall e o duque e a duquesa de Cambridge foram informados e estão encantados com a notícia sobre o nascimento da filha do duque e da duquesa de Sussex”.

Por trás do nome

A rainha Elizabeth recebeu o apelido Lilibet ainda na infância, quando ela não conseguia pronunciar o seu nome direito. Em 2016, a conta oficial no Twitter da família real britânica chegou a compartilhar uma antiga carta que a atual monarca enviou à sua avó, a rainha Maria de Teck, assinando com a alcunha carinhosa dada por sua família.

Segundo o site Baby Names, que explora o significado de nomes em diversas línguas, Elizabeth tem origem hebraica e quer dizer “Deus é meu juramento”. Diana, por sua vez, vem do grego e significa “Divino”.

 

A Rainha Elizabeth 2ª em foto de 1929 ou 1930, quando tinha entre 3 e 4 anos (Foto: Getty Images)
A rainha Elizabeth II em foto tirada por volta de 1929, quando tinha entre 3 e 4 anos (Foto: Getty Images)

Um tributo importante

A decisão de Meghan e Harry quanto a homenagear a rainha Elizabeth no nome da filha deles ganha ainda mais relevância no momento atual, já que, ao longo dos últimos meses, a imprensa internacional tem reportado que a relação da duquesa e do duque de Sussex com a família real britânica está estremecida.

Fontes de veículos ao redor do mundo têm observado que diversos integrantes da realeza – em especial os príncipes Charles e William, o pai e o irmão mais velho de Harry – ficaram incomodados tanto com as declarações que o casal fez sobre eles na entrevista com a apresentadora americana Oprah, que foi ao ar em diferentes países no último mês de maio, quanto com as afirmações de Harry na série documental ‘The Me You Can’t See’, que ele lançou no mês passado.

Porém, o duque e a duquesa de Sussex – que renunciaram aos seus cargos como membros seniores da realeza em janeiro de 2020 e, atualmente, moram na Califórnia com Lilibet e o filho mais velho, Archie – sempre destacaram que mantêm uma ótima relação com a rainha Elizabeth II. Na entrevista com a Oprah em março, Harry declarou que tem “muito respeito” pela monarca, enquanto Meghan disse: “A rainha sempre foi maravilhosa comigo”.