Prêmio Brasileirão 2020: confira os eleitos para a seleção do campeonato nesta temporada

Em cerimônia na noite desta sexta-feira, na sede da CBF, foram anunciados os melhores do Campeonato Brasileiro de 2020, vencido pelo Flamengo. O meia do Bragantino, Claudinho, foi eleito o melhor jogador da competição e também a revelação do campeonato.

Um dos atacantes eleitos, Marinho, que testou positivo para Covid-19, mandou mensagem por vídeo agradecendo os votos e mandando saudação aos torcedores do Santos. Fagner, em tratamento de lesão, também não pode comparecer.

A seleção do Brasileiro 2020 reunida, com Abel Braga como melhor técnico — Foto: Lucas Figueiredo / CBF

A seleção do Brasileiro 2020 reunida, com Abel Braga como melhor técnico — Foto: Lucas Figueiredo / CBF

Claudinho foi eleito craque do Brasileiro 2020 — Foto: Lucas Figueiredo / CBF

Claudinho foi eleito craque do Brasileiro 2020 — Foto: Lucas Figueiredo / CBF

Abelão fala ao público ao receber prêmio de melhor treinador do Brasileiro 2020 — Foto: Lucas Figueiredo / CBF

Abelão fala ao público ao receber prêmio de melhor treinador do Brasileiro 2020 — Foto: Lucas Figueiredo / CBF

Confira a seleção do Campeonato Brasileiro de 2020:

 

  • Goleiro: Weverton (Palmeiras)
  • Lateral-direito: Fagner (Corinthians)
  • Zagueiro: Cuesta (Internacional)
  • Zagueiro: Gustavo Goméz (Palmeiras)
  • Lateral-esquerdo: Guilherme Arana (Atlético-MG)
  • Meia: Edenilson (Internacional)
  • Meia: Gerson (Flamengo)
  • Meia: Claudinho (Bragantino)
  • Meia: Vina (Ceará)
  • Atacante: Gabigol (Flamengo)
  • Atacante: Marinho (Santos)
  • Técnico: Abel Braga (Internacional)

 

Por conta da pandemia, a CBF adotou um protocolo de segurança para o evento no qual apenas os premiados puderam circular pelo auditório, sem convidados. Todos os que tiveram acesso ao evento, entre premiados e envolvidos na organização, tiveram de passar por testes, de acordo com a entidade.

Apenas pela segunda vez desde que o prêmio foi criado pela CBF, em 2005, o clube campeão escalou apenas dois nomes na seleção do campeonato. Antes do Flamengo com Gerson e Gabigol em 2020, apenas o Corinthians em 2011 teve só dois representantes: Ralf e Paulinho.

Campeões na seleção do campeonato:

 

  • 2005 – 5 do Corinthians
  • 2006 – 5 do São Paulo
  • 2007 – 6 do São Paulo
  • 2008 – 3 do São Paulo
  • 2009 – 3 do Flamengo
  • 2010 – 3 do Fluminense
  • 2011 – 2 do Corinthians
  • 2012 – 5 do Fluminense
  • 2013 – 5 do Cruzeiro
  • 2014 – 6 do Cruzeiro
  • 2015 – 6 do Corinthians
  • 2016 – 8 do Palmeiras
  • 2017 – 5 do Corinthians
  • 2018 – 4 do Palmeiras
  • 2019 – 9 do Flamengo

 

A exemplo de 2019, esta edição do Prêmio Brasileirão tem categorias iguais para homens e mulheres, eleitos por votos de um colegiado de capitães, jogadores e jornalistas especializados, entre os dias 5 e 19 de fevereiro. Ao todo, serão 34 premiações individuais para atletas e treinadores.

Confira o que os premiados falaram:

 

Arana: “Foi uma das melhores temporadas que tive. Alcancei sonhos, que foi vestir a camisa da seleção brasileira. Agradeço a minha família, que está sempre ao meu lado. É o fruto do meu trabalho”.

Weverton: “Gratidão a Deus por estar aqui desfrutando deste momento. Goleiro quanto menos aparece é melhor. Ser goleiro é muita responsabilidade. Eu gosto de ser discreto, com minha defesa segura”.

Gerson: “Feliz por estar aqui mais uma vez. Pela segunda vez. Conseguimos ganhar o título nas últimas rodadas. Campeonato muito difícil, mas conseguimos alcançar o objetivo. Depois de muito aperto no coração saímos campeões. Continuar trabalhando para seguir assim e vou seguir atrás dos meus objetivos pessoais.”

Vina: “Sou cara que desde que cheguei no Ceará disse que queria fazer história. Clube que está crescendo bastante, o Nordeste está crescendo bastante, o Ceará está com planejamento bacana. Fico muito feliz de representar essa região, onde sou muito bem acolhido. Fizemos história. Estou aqui representando todos que me ajudaram a ter destaque.”

Gabigol: “Quero voltar mais (aqui). Um ano diferente para todos jogadores. Foi complicado. Tive algumas lesões que me fizeram ficar para trás (na artilharia). Eu fico (no Flamengo), tenho muita vontade de seguir no Flamengo. Espero que no fim do ano volte para pegar mais prêmios”.

Abel Braga: “Isso é como se eu tivesse representando todos meus colegas, porque tivemos aqui o Fagner, contusão, Marinho, Covid, então foi ano muito atípico, com muitas dificuldades. Todos tiveram que se reinventar. Seja presidentes de clubes, treinadores, jogadores, porque o plano B tinha que surgir muito rápido. Ninguém estava preparado para isso. Aqui fora todos temos que nos respeitar. Eu me sinto honrado por este troféu”.