PF diz que Amarildo confessou assassinato de indigenista e jornalista no AM; ‘remanescentes humanos’ encontrados passarão por perícia

O superintendente da Polícia Federal (PF) no Amazonas, Alexandre Fontes, confirmou na noite desta quarta-feira (15), em uma entrevista à imprensa, que Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como “Pelado”, confessou ter assassinado o indigenista Bruno e o jornalista inglês Dom Phillips.

Os remanescentes humanos encontrados enterrados no local indicado por Amarildo serão encaminhados para perícia em Brasília. Confirmadas as identificações, serão entregues às respectivas famílias das vítimas.

Além de Amarildo, também está preso um irmão dele, Oseney da Costa de Oliveira, conhecido como “Dos Santos”, mas, segundo a PF, ele não confessou envolvimento no caso. A participação no crime de uma terceira pessoa, citada por Amarildo, está sendo investigada e novas prisões não estão descartadas.

De acordo com o superintendente da PF, as investigações seguem em sigilo e não é possível dizer a motivação do crime.

Ele afirmou ainda que Amarildo, em seu depoimento, relatou que matou os dois com disparos de arma de fogo, mas que apenas a perícia poderá dar certeza sobre a causa da morte.

Os “remanescentes humanos” foram levados para o município de Atalaia do Norte no início da noite, em sacolas. De acordo com a Polícia Federal, eles devem ser encaminhados para perícia, em Brasília.

'Remanescentes humanos' foram transportados no início da noite. — Foto: Edmar Barros/AP

‘Remanescentes humanos’ foram transportados no início da noite. — Foto: Edmar Barros/AP

FontePor G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui