Nova Zelândia inclui atletas olímpicos em grupo prioritário para vacina da Covid

O Ministro da Resposta à Covid-19 da Nova Zelândia, Chris Hipkins, anunciou que os atletas do país que competirão nas Olimpíadas e em torneios de nível mundial estarão entre os grupos prioritários da vacinação por sua “importância nacional”.

Para se enquadrar neste critério, os atletas deverão provar que viajarão para fora da Nova Zelândia para competir nestes eventos antes de 31 de agosto e que têm a intenção de retornar ao país após a conclusão de suas respectivas participações.

– Nossa expectativa é que nossos atletas olímpicos sejam elegíveis, e que uma equipe esportiva nacional que participe de um evento importante também cumpra estes critérios. Estamos falando de algumas centenas de atletas que poderiam se enquadrar, o que não é um grupo grande.

Ministro da Resposta à Covid-19, Chris Hipkins, e a Primeira Ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern — Foto: Getty Images

Ministro da Resposta à Covid-19, Chris Hipkins, e a Primeira Ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern — Foto: Getty Images

A título de comparação, nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016, a delegação da Nova Zelândia teve 199 atletas. O processo de classificação para os Jogos de Tóquio ainda está aberto.

Nas declarações dadas pelas autoridades neozelandesas não ficou claro se a vacinação antecipada também será oferecida a profissionais componentes das comissões técnicas. Mesmo assim, o Comitê Olímpico do país agradeceu ao governo.

– Estamos muito contentes e agradecidos que nossos atletas sejam incluídos na categoria de importância nacional do governo. O acesso à vacina de Covid-19 é extremamente positivo para nossos atletas e lhes dá tranquilidade, sabendo que estarão protegidos enquanto representem a Nova Zelândia nos Jogos Olímpicos – diz o comunicado.

A Nova Zelândia é um dos países que controlou a pandemia de Covid-19 com maior sucesso, com restrições severas de circulação de pessoas. A vacinação foi iniciada em fevereiro, e em março a Primeira Ministra, Jacinda Ardern confirmou a negociação de um total de 10 milhões de doses da vacina da Pfizer, mais do que o suficiente para imunizar toda a população do país, que tem cerca de 4,5 milhões de habitantes.