Instalação da UEMS em Sidrolândia começará com pós e cursos à distância, diz Gerson Claro

A instalação da UEMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) em Sidrolândia começará com a realização de cursos à distância (EaD) e de pós graduação, conforme garantiu nessa quarta-feira (20) o reitor da instituição, Laércio Alves de Carvalho, durante audiência pública na Câmara de Vereadores do município.

O deputado estadual Gerson Claro, que vem lutando há tempos para que isso se realize, comemorou esse momento tão importante para a comunidade, sobretudo para os jovens que aos poucos deixarão de ter que se deslocar para Campo Grande ou cidades próximas para cursar uma graduação.

“Também peguei muito ônibus para estudar na Capital, chegava de madrugada em casa, dormia na casa de colegas, foi desgastante, e queremos que isso não aconteça mais com nossos estudantes. É um sonho antigo, uma batalha desde o início do nosso mandato, e que agora começamos a ver se concretizar”, disse o parlamentar.

Ele lembrou que Sidrolândia é a 6º maior cidade de Mato Grosso do Sul, experimenta forte expansão agropecuária, possui comércio pujante, e a instalação de uma unidade de curso superior na cidade virá para coroar esse processo de crescimento do município.

“Agora vamos trabalhar nas duas frentes, tanto na comissão para chegada dos cursos presenciais, quanto na instalação da estrutura de um polo EaD. Junto com a prefeita Vanda Camilo, daremos todo o suporte para que isso aconteça o mais rápido possível”, afirmou.

TRÂMITES

Para a fixação de uma unidade de ensino presencial da UEMS, será necessária a formação de uma comissão, que vai estudar a viabilidade dos cursos, necessidade dos futuros acadêmicos e possibilidades para as instalações físicas. Ela terá até 90 dias para apresentar um relatório à reitoria, que o transforma em um processo interno. Depois, esse trabalho é apresentado à comunidade.

Em seguida, é formada nova comissão para constituição do projeto pedagógico. “Com bom andamento, conseguimos tramitar tudo isso nos conselhos no primeiro trimestre do ano que vem. Também precisamos da aprovação do Conselho Estadual de Educação. Só então poderemos partir para o processo seletivo. Penso que isso já pode acontecer no ano que vem se tudo correr bem”, detalhou o reitor da UEMS.

Enquanto isso, serão ofertados cursos de EaD de forma imediata, o que demanda apenas uma sala com estrutura de computadores e cronograma organizado pela instituição. A universidade também fechará turmas de pós-graduação, que poderão contemplar professores ou servidores públicos.

A UEMS está presente em 28 cidades do Mato Grosso do Sul, com 15 unidades físicas e 13 polos de educação à distância. Atualmente, a universidade tem aproximadamente 10 mil matriculados em mais de 50 cursos de graduação (presenciais e à distância), especializações, mestrados e doutorados.

De acordo com a vice-prefeita Rosi Fiuza, Sidrolândia possui hoje 181 estudantes que viajam para outros municípios em busca do diploma universitário. O gasto é de cerca de R$ 1,3 milhão mensal com transporte, incluindo a ajuda com a bolsa universitária. Com a chegada de novos cursos locais, esse investimento passa gradualmente a ser direcionado para outros setores da Educação.

Também participaram da audiência pública a presidente da Câmara de Vereadores, Juscinei Claro, o deputado federal Beto Pereira (PSDB), o juiz Fernando Moreira Freitas da Silva, a secretária municipal de Educação, Maristela Stefanello, e o deputado estadual Renato Câmara (MDB).