Felipão cita necessidade de cinco reforços e pleiteia “segurança maior” com novo diretor do Cruzeiro

Ao vencer o Sampaio Corrêa por 1 a 0, nessa sexta-feira, no Maranhão, o Cruzeiro basicamente eliminou todas as chances de rebaixamento à Série C do Campeonato Brasileiro. Depois da partida, em entrevista coletiva, Luiz Felipe Scolari foi perguntado sobre o planejamento para a temporada 2021 e sobre a relação com André Mazzuco, novo diretor de futebol celeste. A resposta foi enigmática.

Felipão começou dizendo que ele e o novo dirigente precisarão “sentar e definir algumas situações”. Disse, ainda, que Mazzuco terá que “dar uma segurança muito maior a uma série de perguntas” que ele, Scolari, fará.

– Eu tenho primeiro que me encontrar com o Mazzuco, sentar e definir algumas situações, principalmente (sobre o) que eu estou vivendo dentro do Cruzeiro, o que o Cruzeiro vive atualmente. Situações que ele, como diretor de futebol, vai ter que dar uma segurança muito maior a uma série de perguntas que a gente vai fazer a ele.

Na sequência, apesar de ter deixado no ar uma possibilidade de interrupção do trabalho, Felipão falou em busca por reforços para a temporada 2021, mas voltou ao tom misterioso ao falar que ele e o clube conversarão até o fim do campeonato “para ver o que vai acontecer”.

Nesta semana, o treinador teve uma reunião com o presidente do clube para definir o planejamento para a próxima temporada, elencando possíveis reforços e definindo local de pré-temporada.

– (Vou) colocar uma série de nomes pra contratações. Três, quatro, cinco nomes pra contratações pro ano que vem. (Temos que definir) como vamos fazer pré-temporada, uma série de coisas. E ouvir dele o que ele tem a nos dizer. Depois a gente vai aos poucos se adaptando, conversando até o fim do campeonato, pra ver o que vai acontecer.

O contrato de Felipão com o Cruzeiro vai até o fim de 2022 e tem multa unilateral: caso o clube demita o treinador antes do fim do vínculo, paga multa que gira em torno de R$ 10 milhões. Caso Scolari queira sair, pode tomar a decisão sem ônus financeiro.