Exposição artística sobre a beleza negra na REME

Resultado do trabalho realizado nas unidades de educação municipal de Campo Grande, a exposição “Beleza Negra – ressignificações da mulher negra na obra de arte” foi inaugurada nesta terça-feira (28) e segue até 10 de dezembro, no Shopping Bosque dos Ipês. O evento é realizado pela Prefeitura de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), em parceria com a Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres e Defensoria Pública.

Foto: Marlon Ganassin

Foto: Marlon Ganassin

Com a proposta de valorizar a cultura afro-brasileira, o projeto faz parte do “Programa Educação em Foco: Múltiplas Dimensões da Formação Continuada” e tem o objetivo de implementar a Lei nº10.639/2003 e dar maior visibilidade ao Mês da Consciência Negra, discutindo sua importância para a história do país.

Para o prefeito Marquinhos Trad, o projeto é fundamental porque além de problematizar o racismo, busca a proposição de ações afirmativas, que favoreçam a desconstrução de estereótipos e preconceitos relacionados à população afrodescendente.

“Quando a gente realiza um trabalho dessa natureza, a gente faz muito mais que um ato de reflexão para os alunos e alunas. Ele serve de exemplo para nós adultos. Nós vivemos em um país onde o preconceito ecoa nos quatro cantos do nosso território. Alguns negam, mas intimamente revelam no silêncio da sua alma alguma diferença, seja o preconceito com os indígenas, com os LGBTs, com os idosos, com as mulheres, com os jovens, com os negros… Vivemos em país que temos que ter um Estatuto do Idoso para dizer para os filhos não abandonarem os pais, que temos que ter um Estatuto da Criança e do Adolescente para dizer que os pais, não podem abandonar os filhos. Infelizmente ainda temos distância daqueles que são diferentes de nós? O que leva o ser humano a odiar alguém externamente? Se internamente somos feito dos mesmos órgãos e mesmos tecidos”, afirmou.

Foto: Marlon Ganassin

Foto: Marlon Ganassin

Para fazer estes e outros questionamentos, a Semed desenvolveu ao longo do ano ações no sentido de promover e fortalecer a autoestima, bem como  intensificar as atividades voltadas para combater o racismo. A exposição é composta por telas produzidas por alunos de mais de 40 escolas da Reme, que tem como foco, apresentar referências de penteados, roupas, adereços e maquiagens que valorizam os traços e as características da beleza afro, fortalecendo assim a autoestima das estudantes.

A secretária municipal de educação, Elza Fernandes Ortelhado, explicou que o projeto é a  culminância dos diversos trabalhos realizados nas unidades escolares. “Para nós é muito importante poder estar aqui fazendo uma demonstração do que é trabalhado nas nossas unidades. A capacidade dos nossos alunos, dos nossos professores, o que podemos realizar e o que estamos realizando nas nossas unidades. O nosso sucesso é o sucesso de vocês”, disse.

A estudante Wannykeze de Oliveira Ferreira, do 8º ano A, da escola municipal Nelson de Souza Ferreira, falou sobre a tela que pintou. “Eu quis mostrar que as mulheres negras também podem ser o que elas quiserem, ter a cor de cabelo que querem, fazer o que querem”, afirmou.

Já a aluna, também do 8º ano, da escola municipal Nelson de Souza Ferreira, Letícia Gonzaga de Andrade, contou que procurou retratar as fases da beleza negra. “Ela está com o cabelo curto e depois o cabelo crescendo, ela se aceitando como negra. Acho que é importante trabalhar o tema em sala de aula. Eu reafirmei a minha ideia de que não importa a cor, ou o tipo de cabelo, que o que importa são as pessoas”, disse.

Foto: Marlon Ganassin

combate ao racismo e a defesa dos tratamentos igualitários foram temas trabalhados tanto em sala de aula, através de diversos projetos pedagógicos quanto em cursos oferecidos aos professores em 2017.

Para a chefe da Divisão de Educação e Diversidade, Anny Michelly, é  muito comum nas escolas trabalhar a questão afro apenas no mês da consciência negra e um dos objetivos do projeto foi trabalhar o tema o ano todo. “A importância dele foi trabalhar sobre a questão étnica racial durante o ano de 2017. As escolas estão debatendo sobre o racismo, não só a questão afra, como a indígena”, enumerou.

Coordenador de Marketing do Shopping Bosque dos Ipês, Diogo Bulhões, agradeceu a todos e explicou que o empreendimento tem responsabilidade de fomentar cultura, arte, música e tem trabalhado a valorização doa atores e artistas campo-grandenses. “Nesse espaço aqui, todos os domingos a trupe de teatro daqui de Campo grande se exibe. Nosso empreendimento esta sempre de portas abertas para a prefeitura para desenvolver e valorizar a arte do nosso estado”, finalizou.