Embaixador do Reino Unido é detido no Irã

Detenção de Rob Macaire teria ocorrido durante manifestações realizadas nesta sábado contra o governo iraniano. Reino Unido diz ação viola a legislação internacional.

O embaixador do Reino Unido no Irã, Rob Macaire Reprodução/Twitter

As autoridades iranianas detiveram neste sábado (11) o embaixador do Reino Unido no Irã, informou o ministro das Relações Exteriores britânico, Dominic Raab. A detenção de Rob Macaire teria ocorrido durante manifestações contra o governo local.

“A detenção de nosso embaixador em Teerã sem razão ou explicação é uma violação flagrante da legislação internacional”, declarou Raab.

A detenção de Rob Macaire durou cerca de uma hora.

Os Estados Unidos pediram ao Irã que se desculpe por ter detido brevemente o embaixador do Reino Unido.

“Isso viola a Convenção de Viena. Fazemos um chamado ao regime para que se desculpe formalmente com o Reino Unido por violar seus direitos e que respeite os direitos de todos os diplomatas”, tuitou a porta-voz do Departamento de Estado, Morgan Ortagus

Neste sábado, manifestantes iranianos pediram a saída do líder supremo do país, o aiatolá Ali Khamenei, depois que autoridades do Irã admitiram que um míssil de seu próprio exército derrubou um avião com 176 pessoas na quarta-feira.

De acordo com o “The New York Times”, os atos foram organizados em redes sociais, originalmente, para lamentar a perda de vidas da queda do avião da empresa aérea Ukraine International Airlines, mas eles se tornaram protestos contra as ações do governo.

Em vídeos postados em redes sociais, a aglomeração aconteceu na frente da universidade de Amir Kabir, em Teerã. Entre os gritos dos manifestantes, houve pedidos de “morte aos mentirosos” e “morte ao ditador”, de acordo com o jornal norte-americano.

A agência de notícias Fars, que é semi-oficial, publicou um texto em que descreve que participantes do ato rasgaram fotografias de Qassam Soleimani, o general iraniano morto pelos americanos no dia 3 de janeiro.

Líderes pedem investigação

Vários líderes mundiais se manifestaram a respeito da queda do avião em Teerã e pediram para que o Irã colabore com investigações sobre o incidente.

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, pediu ao governo do Irã “transparência total” sobre o avião abatido. Ao todo, 63 canadenses morreram no incidente. Ele também afirmou que o foco agora deve ser nas respostas necessárias que envolvem a queda da aeronave.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, publicou uma mensagem em que diz que a queda do avião reforça a importância de se reduzir as tensões no Oriente Médio. Para ele, é preciso conduzir uma investigação transparente e independente.

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, afirmou que a decisão do Irã de admitir que derrubou o avião foi um passo importante. Ela também exigiu uma investigação completa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui