Dirigente do Flamengo nega motivação política e diz que Rafinha não encaixa no orçamento

A negociação frustrada com Rafinha e as acusações do jogador movimentaram os bastidores do Flamengo. Em entrevista ao canal “Debate Rubro Negro”, o vice de relações externas do clube, Luiz Eduardo Baptista, o BAP, garantiu que o motivo para o jogador não ter sido contratado foi financeiro.

Ao “Seleção SporTV”, Rafinha disse que foi vítima de uma “guerra política” entre o futebol e o alto comando do clube, do qual Bap faz parte ao lado de outros vices e do presidente Rodolfo Landim. O jogador rejeitou a justificativa de que seu veto foi motivado pela parte financeira.

– Essa tentativa de se criar uma narrativa diferente visa esconder a realidade. A pandemia afetou de maneira dramática, já é uma realidade. Fizemos o orçamento com premissas desafiadoras, todos no clube sabem. Não podemos assumir novos compromissos. Esportivamente, o Rafinha é uma unanimidade no Flamengo. Quem não ia querer? O que ele entende ter sido a razão para ele não jogar no Flamengo não é a realidade. A própria nota oficial do Flamengo diz isso – disse BAP.

A batalha interna no caso Rafinha deixou mais escancarado o desencontro entre o Ninho do Urubu e a Gávea. Embora seja uma um cenário mais complexo, com diversos personagens, Braz e BAP acabam personificando o duelo.

– Sobre minha relação com Marcos Braz, ela no dia a dia é boa. Não concordamos com tudo. Esportivamente, sou a favor da contratação do Rafinha, mas hoje não temos condições. A quem interessa essa divisão? Tem que perguntar a quem cria esse tipo de versão para fazer uma cortina de fumaça para esconder a realidade disse o vice de relações externas e membro do conselho do futebol.

Na entrevista, BAP respondeu sobre ser alvo de críticas, e disse que pelo fato de o ano ser de eleição no Flamengo, tudo fica mais pesado.

– Isso acontece mais em anos eleitorais, e eu lido com naturalidade. É um jogo político pesado, e tenta-se atacar os pilares da gestão. Não me envolvi no Flamengo para fazer amigos, estou lá para servir ao Flamengo. Quem está dentro do clube, sabe quem é quem.

O que disse Rafinha no Seleção SporTV:

– Com certeza eu fui vítima de uma guerra política. Falaram que era parte financeira, e não foi. Eles têm essa guerra, eu não sabia também. Não sabia que chegava a esse ponto. Eu paguei o pato, fiquei 35 dias em casa “cozinhando” esperando tomarem uma decisão. Essas pessoas tinham que ficar ligadas nas atribuições delas, as finanças, comunicação… Não tenho que pagar essa conta. Fui usado nessa guerra.