DEFESA DE DANIEL SILVEIRA SE ESQUIVA DE EXPLICAR SUPOSTA VIOLAÇÃO DE TORNOZELEIRA

A defesa de Daniel Silveira afirmou ao ministro Alexandre de Moraes que não cabe aos advogados se manifestarem sobre um relatório da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária do Rio que apontou violações na tornozeleira eletrônica do deputado.

Nesta segunda-feira, o ministro do STF deu 48 horas para a defesa de Silveira responder sobre um documento da Central de Monitoração Eletrônica que apontou um rompimento de cinta e o fim de bateria do aparelho.

O próprio ministro, no entanto, afirmou haver divergências no relatório, que também apontou ausência de violações.

“Entende a defesa técnica que efetivamente quem deve esclarecimentos é o autor do documento, não cabendo a esta defesa, corrigir eventuais erros de órgão da administração pública”, disse a defesa de Silveira na manifestação enviada ao STF.

Os defensores de Silveira também reclamaram de que não têm conseguido acessar as peças do processo envolvendo seu cliente, o que também impossibilitaria uma resposta detalhada ao STF.