Com foco em assentados, Zeca planeja disputar prefeitura de Sidrolândia

Cotado como nome forte para disputar a Prefeitura de Campo Grande nas eleições municipais de 2020, o ex-governador Zeca do PT contrariou as expectativas e planeja disputar o comando da cidade de Sidrolândia, distante 72 quilômetros da Capital.

Com foco nos assentamentos, o líder petista vai trocar o maior colégio eleitoral de Mato Grosso do Sul, com mais de 800 mil habitantes, para conquistar votos entre os mais de 40 mil habitantes da cidade do interior.

O plano inicial de Zeca era se retirar da vida política, por conta da idade, está com 70 anos, porém, diante de diversas propostas para disputar o comando nos municípios do Estado, ele considerou a da cidade próxima da Capital. “Eu já cumpri o meu papel. Mas a possibilidade de comandar Sidrolândia mexeu comigo. É um município com enorme potencial econômico, com o maior número de assentados e de assentamentos do Brasil, com potencial de crescimento extraordinário”, justificou.

Segundo ele, convites também não faltaram de articuladores dos municípios de Porto Murtinho, Bela Vista, Dois Irmãos do Buriti e Corumbá. No entanto, o fato de manter um sítio e tocar negócio na área de piscicultura em Sidrolândia também estão pesando na escolha. “Tenho que definir isto até abril”, explicou.

Se a decisão se concretizar, a polarização verificada nas eleições presidenciais de 2018 vai se repetir de maneira micro no município já que o atual prefeito, Marcelo Ascoli do PSL deve disputar a reeleição. Naquele ano, Zeca disputou o cargo de senador pelo PT, mas perdeu.

O cenário que se desenha não deixa de interferir na disputa pelo comando da Capital. Pré-candidato do PT, o deputado estadual Pedro Kemp será testado nas urnas da maior da cidade do Estado. O petista tem entre os concorrentes o atual prefeito, Maquinhos Trad (PSD).

Zeca teria de, primeiro, transferir o título eleitor. Segundo a legislação, isso deve ocorrer, pelo menos, 6 meses antes do pleito.