Cocaína encontrada em malas de brasileiros na Tailândia é avaliada em R$ 7 milhões

RIO — A cocaína encontrada nas bagagens de três brasileiros no aeroporto de Suvarnabhumi, na Tailândia, há uma semana, foi avaliada em 46,5 milhões de baht (equivalente a R$ 7,3 milhões pela cotação desta segunda-feira, dia 21), conforme informou a Alfândega tailandesa numa conferência de imprensa sobre o caso. A droga, totalizada em 15,5 quilos, estava escondida nas malas do trio, já preso.

Mala onde autoridades tailandesas encontraram cocaína Foto: Divulgação / Alfândega da Tailândia
Mala onde autoridades tailandesas encontraram cocaína Foto: Divulgação / Alfândega da Tailândia

Em 9 de dezembro de 2021, entrou em vigor na Tailândia uma nova lei no que concerne o Ato de Narcóticos, de forma favorável a presos já condenados por crimes relacionados a drogas. Segundo o Ministério da Justiça tailandês, o objetivo é punir os “grandes traficantes” em vez dos “pequenos”, bem como oferecer “melhor tratamento aos dependentes químicos”.

“O objetivo desta lei é conciliar as leis de narcóticos e ajustar as penalidades para serem proporcionais à gravidade do delito”, afirmou a pasta num comunicado emitido em 30 de novembro.

O país é famoso por suas duras sentenças para crimes relacionados a drogas, incluindo prisão perpétua e pena de morte, em geral para traficantes, dependendo das substâncias e suas quantidades. A redução das penalidades, em especial para usuários, seria uma forma de aliviar o sistema prisional, que conta com aproximadamente 285 mil detentos, entre eles 237 mil por envolvimento com entorpecentes.

Mala onde autoridades tailandesas encontraram cocaína Foto: Divulgação / Alfândega da Tailândia
Mala onde autoridades tailandesas encontraram cocaína Foto: Divulgação / Alfândega da Tailândia

Segundo Ayut Sinthoppan, diretor-geral do Departamento de Correções, as penas daqueles que haviam sido condenados devem ser revisadas para que “os delitos relacionados à produção, importação, exportação, porte e uso de drogas sejam proporcionais à gravidade do crime”.

— Quando as autoridades consideram punir os infratores, elas darão mais peso às ações cometidas pelos suspeitos, em vez de confiar principalmente em suposições — afirmou Ayut ao “Bangkok Post”. — Em alguns casos, as penalidades serão reduzidas, o que beneficiará os infratores.

Até então, para o tráfico de cocaína a pena aplicada podia ser a partir de 20 anos de reclusão até prisão perpétua e multas entre 2 milhões e 5 milhões de baht (R$ 10 milhões e R$ 25,5 milhões, respectivamente).

FonteO Globo e agências internacionais