Case de sucesso dá dicas para Gestão e Desenvolvimento em Campo Grande

Incentivo fiscal, desburocratização e ideias inovadoras fizeram do município de Três Rios (RJ), a 126 quilômetros da capital carioca, um dos modelos de gestão municipal de sucesso no país. Em dois mandatos, o ex-prefeito Vinicius Medeiros Farah, que esteve nesta quinta-feira (8) em Campo Grande, palestrando sobre “Boas Práticas de Gestão Pública para o Desenvolvimento Local”, elevou a receita do município em 4 vezes, passando de R$ 94 milhões no inicio da gestão a R$ 340 milhões no final.

@5Para o ex-gestor, a receita de sucesso se baseia em incentivos fiscais, desburocratização, comprometimento da equipe, do governo, no caso do prefeito, e de todos os colaboradores em um projeto moderno e audacioso de criar ferramentas para a máquina funcionar.

“A gente entende que não consegue fazer a máquina pública rodar sem que a mesma enxergue seu verdadeiro papel: que é criar ferramentas que facilite a vida de todos, principalmente, daqueles que querem empreender, que querem investir, e consequentemente, gerar receitas e emprego”, afirma Vinicius.

E emenda: primeiro tem que ser forte economicamente para que se possa transformar isso em ações em todas as áreas.

Em Três Rios, as medidas adotadas, como redução de exigências na abertura de empresas (quando a lei não permite), criação de ambiente favorável, otimização dos serviços, prazos maiores para que os produtos sejam entregues, fez com que o município atraísse mais de 2 mil empresas, gerando mais de 10 mil empregos.

“Este é o papel do órgão público facilitar a vida do cidadão. Reunir uma série de ações com o objetivo de facilitar a vida do contribuinte. Com estas facilidades atrair empresas, atrair negócios, construir um ambiente favorável que vai movimentar a economia da cidade e transformar a vida das pessoas”, diz.

@1Para o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, Luiz Fernando Buanain, uma das principais metas dos gestores é desmitificar o entendimento de que benefícios fiscais tiram receita do município.

“Atraindo investimento, está movimentando a economia. Está movimentando área de turismo, hoteleira, construção civil… Quando se traz uma empresa, fomenta uma cadeia muito grande em cima dela. É a empresa que vai fornecer a peça, o serviço de limpeza, o serviço de manutenção… O que está por trás disso daí que vai movimentar a economia e gerar divisas”, frisa.

Para ele, é preciso pensar no macro e no que os benefícios fiscais podem se converter. “Investir no empresário, para que isso retorne para o município em uma velocidade muito maior”, afirma.

 

O diretor geral de compras e licitação, Ralphe Cunha, aponta a importância de se conhecer outras realidades. “Estamos participando de eventos, como o de hoje, de encontros, workshops, para conhecermos os ‘cases’ de sucesso em compras públicas e debatendo para que possamos escolher o melhor modelo para a nossa cidade. Para que por meio das compras públicas possamos fortalecer, fomentar, desenvolver a economia local”, analisou.

Fonte: www.capital.ms.gov.br