Avanço da ômicron leva cariocas que não tinham tomado a primeira dose da vacina aos postos de saúde

O aumento no número de testes de Covid positivos e o avanço da variante ômicros tem levado cariocas que não tinham tomado nem a primeira dose da vacina aos postos de saúde.

Só na segunda (3) e na terça-feira (4) desta semana, 1852 pessoas finalmente decidiram se vacinar.

A procura aumentou também para as doses de reforço. Somente nesta terça foram aplicadas 46.671 doses de reforço, nos postos de saúde da cidade do Rio. Na última semana de dezembro, a média diária tinha sido de 26 mil doses de reforço aplicadas. Um aumento de quase 80%.

Testes positivos igualam o pico da pandemia

 

O número de testes positivos para Covid-19 chegou a 41% no Rio, em meio ao avanço da variante ômicron. Os dados estão disponíveis nesta quarta-feira (5) do site da Prefeitura.

É o maior número para uma semana desde a segunda semana de janeiro de 2020. Naquela época, porém, eram 500 pessoas internadas em UTI e outras 500 em enfermaria.

Segundo o secretário de Saúde, Daniel Soranz, pela característica dos exames já é possível dizer que a variação nos testes é causada pelo avanço da variante ômicron.

Agora, são 26 pacientes internados. Ou seja, graças à ampla adesão da vacinação na capital fluminense, o número de pacientes em hospitais públicos do Rio é 40 vezes menor.

Situação de internados com Covid no Evandro Chagas — Foto: Reprodução/TV Globo

Situação de internados com Covid no Evandro Chagas — Foto: Reprodução/TV Globo

Todos os pacientes na rede pública da capital estão no Instituto de Infectologia Evandro Chagas, da Fiocruz. Nesta quarta, dos 26 internados, 12 não tomaram qualquer dose da vacina, 6 tomaram apenas a primeira dose, outros 6, receberam as duas doses e só dois têm a dose de reforço.

Atualmente, mesmo após a redução de leitos, a taxa de ocupação dos hospitais na capital é de menos da metade. Da população total, 81% já se vacinaram com as duas doses.

Na capital, dezembro foi o mês com o menor número de óbitos por Covid e também com o menor número de internações desde o início da pandemia. Nos últimos três dias, as internações tem ficado na casa dos 20. Vinte pacientes estão na UTI, entre eles, os 12 que não se vacinaram.

Para a Secretaria de Saúde da Capital, a vacina é o que realmente protege contra os casos graves de Covid. “Pra variante ômicron, a principal estratégia pra diminuir o aumento de casos é ampliar a dose de reforço. A gente sabe que pra se proteger da ômicron, a dose de reforço é essencial. Então, a nossa principal estaratégia é ampliar a dose de reforço. A gente pretende aplicar 800 mil doses de reforço nesse mês de janeiro”, diz Daniel Soranz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui