Vice-governador segue internado em SP quase 4 meses após ter covid-19

Vice-governador de Mato Grosso do Sul, Murilo Zauith (DEM) segue internado em São Paulo (SP) para se recuperar da covid-19. O chefe adjunto do Executivo está no Hospital Israelita Albert Einsten, um dos mais conceituados do país, desde o dia 27 de janeiro, quando foi transferido ao local para tratamento.

Prestes a assumir o comando temporário do Governo do Estado – em período de férias do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) – e pouco depois de deixar o comando da Seinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura), Murilo acabou se infectando com o novo coronavírus.

Inicialmente, a doença não preocupou. Contudo, com o passar dos dias, houve piora no quadro de Zauith, que precisou de tratamento avançado e não pode assumir o comando do Estado – este posto, no período, ficou com o presidente da Assembleia Legislativa, Paulo Corrêa (PSDB).

No dia 27 de janeiro, Murilo então foi para São Paulo (SP) e iniciou o tratamento. Passada a fase aguda da infecção da covid-19, ele precisou seguir internado lutando contra complicações decorrentes da doença.

Extraoficialmente, a reportagem apurou que Murilo chegou a ficar na cadeira de rodas, sem conseguir andar, enquanto fazia trabalho de fisioterapia para se recuperar. Contudo, a informação não é confirmada pela equipe de Zauith. Realização de intubação e outros procedimentos típicos da covid-19 também não foram revelados.

Boletim – A falta de informações sobre Murilo, inclusive do Governo do Estado, acabou gerando vários rumores e incertezas sobre a situação do vice-governador, posto público ocupado pelo douradense desde 2018, quando Reinaldo foi reeleito.

Em contato com a assessoria do hospital, o repasse de informações não foi autorizado. Porém, após quase quatro meses, nota divulgada nesta quinta-feira (13) trouxe novidades sobre o estado de saúde de Murilo, mesmo sem entrar em detalhes.

“Apresenta-se fora de período de contágio, consciente e orientado”, frisa trecho do sucinto relatório médico assinado pelo infectologista David Salomão Lewi. Ele ainda continua afirmando que Murilo está ainda internado para “recuperação física e reabilitação”. O documento data desta quinta.

Junto ao relatório, a família de Murilo e o próprio enviaram também nota agradecendo o “apoio, carinho e respeito recebidos dos amigos, familiares e imprensa” durante os momentos mais sensíveis aos quais passaram durante o tratamento.