Trump diz que democratas terão problemas se o investigarem

Presidente comemorou resultado das eleições de meio de mandato

© Getty Images

O presidente norte-americano, Donald Trump, comentou nesta quarta-feira (7) os resultados das eleições de meio de mandato no país e pediu cooperação do Partido Democrata nos próximos dois anos. O magnata republicano classificou o pleito como uma “vitória quase absoluta”, apesar de o Partido Republicano, do qual ele faz parte, ter perdido a maioria na Câmara dos Deputados. As declarações foram dadas durante entrevista coletiva na Casa Branca, em Washington.

“Agora é hora de colocar questões partidárias de lado e fazer o ‘milagre econômico’ americano crescer”, disse presidente. Trump comemorou o desempenho do partido republicano, que já garantiu dois novos assentos no Senado, e pode aumentar o número até o final da contagem dos votos. Atualmente o partido do mandatário tem 51 assentos, contra 45 dos democratas, sendo que ,para ter maioria, os partidos precisam de pelo menos 51 cadeiras.

Na Câmara dos Deputados, no entanto, o partido perdeu o controle da Casa para os democratas. Serão 222 deputados da oposição contra 199 governistas, o que representa um crescimento de 28 assentos na bancada democrata. Para conseguir a maioria, é preciso obter 218 assentos. O presidente afirmou que caso sigam propondo investigações sobre temas como uma possível sonegação de impostos e a suposta interferência da Rússia nas eleições de 2016, os democratas terão dificuldade em conseguir acordos nas duas Casas.

Trump também exaltou sua atuação na eleição de nove governadores republicanos pelos quais ele fez campanha. Em 60 dias, o presidente participou de 30 comícios, que ajudaram o partido republicano a vencer em estados como Flórida, Ohio e Georgia, onde o candidato Brian Kemp venceu com 50,4% dos votos. A segunda colocada foi Stacey Adams, a primeira mulher negra a ser escolhida como candidata a governadora no país, que contou com apoio da apresentadora de televisão Oprah Winfrey. “Eu gosto dela, não sei se ela gosta de mim”, brincou Trump, referindo-se à apresentadora. Agora, o partido republicano tem 26 governadores, contra 23 dos democratas.

Após ser perguntado sobre a suposta interferência da Rússia nas eleições de 2016, que está sendo investigada pelo FBI, Trump discutiu com um repórter da rede de televisão norte-americana “CNN”. “Não estou preocupado [com o caso da Rússia] porque isso é uma farsa”, respondeu, pedindo para que a entrevista prosseguisse. O repórter insistiu na pergunta e o presidente pediu que ele se sentasse e passasse o microfone para um colega, o que não foi feito pelo profissional. “Você é muito grosseiro e é uma terrível pessoa. É uma vergonha que você esteja trabalhando para a CNN”, disse.”Quando vocês noticiam fake news, vocês são inimigos do povo”, terminou. (ANSA)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui