Terceiro ano de governo Bolsonaro é marcado por CPI, pandemia e ameaças à democracia

O terceiro ano de mandato do presidente Jair Bolsonaro (PL) foi marcado por uma série de polêmicas envolvendo o próprio presidente, como ataques ao Supremo Tribunal Federal (STF) e à democracia, e uma CPI para investigar as ações e omissões do governo na pandemia.

Bolsonaro repetiu neste ano atitudes envolvendo a pandemia de Covid-19 que prega desde 2020. O presidente contrariou orientações das autoridades internacionais de saúde: promovou e participou de aglomerações, criticou o uso de máscara, e recomendou remédios cuja ineficácia contra a doença já foi comprovada.

Em meio à polêmica condução da pandemia e à instalação da CPI da Covid, o presidente Jair Bolsonaro se filiou ao Partido Liberal, que faz parte do Centrão, pelo qual deve disputar a eleição presidencial de 2022.

O presidente da República, que já era investigado no Supremo por suposta tentativa de interferência na Polícia Federal, se tornou alvo de cinco novos inquéritos no STF e no TSE.

Relembre, mês a mês, alguns dos principais fatos relacionados ao governo em 2021:

Janeiro

 

Brasil quebrado: Logo no início do ano, em 5 de janeiro, Jair Bolsonaro afirmou que o “Brasil está quebrado” e que, por isso, ele não conseguia “fazer nada”. A declaração gerou reações de economistas e políticos.