Senadores avaliam que ataque de Ernesto a Kátia foi ‘orquestrado’ e veem apoio de filhos de Bolsonaro

Senadores de diferentes partidos conversaram neste domingo com a senadora Kátia Abreu a respeito dos ataques do ministro Ernesto Araujo a senadora Kátia Abreu e veem um “ataque orquestrado” do ministro das Relações Exteriores, com aval da família Bolsonaro – principalmente o deputado federal, Eduardo Bolsonaro, que saiu em defesa do ministro nos últimos dias.

Segundo o blog apurou, a avaliação foi feita a Kátia Abreu, que concordou e chamou, nos bastidores, de “cortina de fumaça” os ataques para tirar a “credibilidade” do Senado em meio ao processo de cobrança pelas vacinas.

Na visão de senadores, Ernesto pode até ser repreendido pelo governo em público, se houver uma cobrança da presidência do Senado, mas os parlamentares acreditam que fará parte de um jogo de cena. Ressaltam que o assunto foi parar entre os temas mais comentados das redes sociais, exatamente como opera a rede de apoiadores de Bolsonaro para atacar um adversário.

Além disso, senadores ouvidos pelo blog acreditam que o ministro “jamais” tomaria essa atitude se não estivesse avalizado pela família Bolsonaro, como uma forma de justificar publicamente sua saída do governo.

A permanência de Araujo, que já era dada como certa, agora é chamada de “acinte” por senadores.

Na noite deste domingo, diante da nova crise entre Ernesto Araujo e o Senado, integrantes do governo voltaram a discutir nomes para a vaga do ministro das Relações Exteriores.

Nos bastidores, além de senadores cotados, incluíram o nome do embaixador do Brasil na França, Luiz Fernando Serra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui