Senador Nelsinho Trad defende programa de incentivo para municípios saírem da crise

Parlamentar faz referência ao projeto desenvolvido pelo ex-prefeito da Capital Edil Albuquerque
Em combate à crise econômica provocada pela atual pandemia, o senador Nelsinho Trad (PSD/MS) defendeu na noite da última segunda-feira (04), em sessão ordinária  dos vereadores de Dourados, a criação de um Programa de Incentivo ao Desenvolvimento Econômico e Social (Prodes). “Não assoprei para o meu irmão (Marquinhos Trad, prefeito de Campo Grande), vou falar aqui em primeira mão, porque me perguntaram. Se eu estivesse à frente da prefeitura, com a experiência de hoje, o que eu faria? Aprendi que a dor e a dificuldade são parteiras da solução, eu iria voltar ao projeto que foi liderado pelo meu vice-prefeito em Campo Grande, Edil Albuquerque”, enfatizou o parlamentar.
Com dois mandatos seguidos de prefeito, o senador Nelsinho Trad foi questionado pelo vereador de Dourados, Idemar Machado, o que faria se fosse o atual prefeito para desenvolver a cidade diante da pandemia do Covid-19. De imediato, o parlamentar espontaneamente recordou como foi criado o Prodes na Capital sul-mato-grossense. “Criou-se uma lei em Campo Grande, reduzindo impostos para atrair novas empresas. Na época, tivemos muita geração de empregos e renda na Capital. Pode ser uma saída sensata, nós vamos ter que recomeçar, onde tudo parou”, enfatizou o senador.
Segundo o senador Nelsinho Trad, a criação do Prodes (Programa de Incentivo ao Desenvolvimento Econômico e Social de Campo Grande) atraiu em Campo Grande 400 novas empresas o que resultou em investimentos de R$ 3,8 bilhões e geração de 38 mil novos empregos. “Não foi à toa que Campo Grande foi apontada como uma das melhores cidades para se viver e investir”, recordou a vereadora Daniela Hall (PSD), anfitriã desse convite ao senador para participar da sessão de Dourados.
Durante a administração de Nelsinho na Prefeitura de Campo Grande, o número de empresas cresceu 294%, saindo de 15 mil para 59,1 mil. O PIB local também subiu 8 posições na lista dos 100 maiores do Brasil, ocupando o 35ºlugar em 2011, segundo o IBGE. O crescimento  entre 2004 e 2012 foi de 158%, chegando a R$ 16,3 bilhões.
Referência
Em 2012, Campo Grande foi apontada pela revista Exame como a 30ª melhor cidade do país para se investir em negócios, a 4ª do Centro-Oeste e a 1ª do estado.  Nos quatro últimos anos de gestão, de Nelsinho Trad como prefeito, o número de leitos na rede hoteleira duplicaram – de 3 mil para 6 mil – e a taxa de ocupação também dobrou de 40% para 80%
Em 2011, Campo Grande tornou-se o terceiro melhor destino para eventos de pequeno e médio portes do país
De acordo com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), o índice de competitividade no turismo de Campo Grande em comparação com outras 64 cidades subiu de 56 para 84 entre 2008 e 2012.