PSD elege hoje novo comando do partido em Campo Grande

Com chapa única, Antônio Lacerda vai assumir posto para os próximos dois anos

Candidato único ao comando do PSD, Lacerda defende que boa gestão é fundamental para planos em 2020. (Foto: Ronie Cruz)

PSD elegeu hoje o novo comando regional da sigla em Campo Grande. Em chapa única, o secretário municipal de Governo, Antônio Lacerda, foi reconduzido ao posto que ocupará pelos próximos dois anos. As eleições começaram às 8h e terminam às 11h na sede do partido. Filiados e apoiadores chegaram cedo à sede, localizada no Bairro Jardim dos Estados, região central de Campo Grande.

Publicidade
Convenção do PSD da Capital foi realizada nesta manhã. (Foto: Ronie Cruz)

Aliados – Lacerda reforçou que o PSD começa a disputa do ano que vem com um apoio em Campo Grande. O governador Reinaldo Azambuja já defendeu publicamente que o seu PSDB apoie a reeleição de Marquinhos, contando com respaldo de outras lideranças tucanas.

“Esse é um compromisso, indiscutivelmente, do governador Reinaldo Azambuja. Nós estivemos na reeleição dele de corpo e alma. O único compromisso dele conosco era de estarmos juntos na reeleição do Marquinhos”, afirmou Lacerda.

Outros políticos, porém, se movimentam para se alinhar ao prefeito, casos do PMN e do PTB, cujos vereadores Willian Maksoud e Otávio Trad, respectivamente, participaram da convenção. O primeiro confirmou que vai caminhar no projeto eleitoral do prefeito.

Migração – Otávio, por sua vez, disse ainda ser cedo para falar com coligação por ainda não saber “qual será o rumo ideológico do PTB”. Ele espera ter um cenário mais claro até o início de 2020, quando definirá inclusive se continua nas hostes petebistas.

Fábio Trad reforçou acordo entre lideranças do PSD para “dividir” Estado. (Foto: Ronie Cruz)

“Minha vontade inicial é de que o PTB esteja junto, até pelo fato que tenho comungado de maneira política, tanto fora como dentro da Câmara, das ideologias partidárias do prefeito”, destacou o vereador petebista.

Apesar de Lacerda ter deixado claro que eventuais filiações com fins eleitorais só serão discutidas em 2020, o PSD tem sido palco de especulações quanto a reforços para a próxima eleição. O vereador Chiquinho Telles antecipou conversas com nomes como o do colega Valdir Gomes –que, presente a convenção, admitiu a possibilidade de se filiar ao partido até abril do ano que vem– e revelou interesse em outros nomes, como Carlão (PSB) “e até do MDB”. “O PSD ainda vai crescer muito”, afirmou ele.

Estado – Regionalmente, o deputado federal Fábio Trad disse que o PSD está presente em 60 municípios e se organiza para 2020. “Não diria que está pronto para o embate, mas em pouco tempo estará na linha de frente do cenário estadual para enfrentar os desafios da próxima eleição”, considerou, apostando que, ao menos na Capital, PSDB e outros partidos de representatividade serão aliados à reeleição de Marquinhos.

Internamente, o PSD distribuiu o Estado em quatro setores, cada um deles a ser gerido politicamente por uma liderança. Fábio, o senador e presidente regional Nelsinho Trad e o deputado estadual Londres Machado ficaram responsáveis por grupos de municípios no interior, com a Capital ficando a cargo de Marquinhos, “obedecendo empatia no contexto territorial e geográfico. Fizemos esse combinado no sentido de evitar que tudo se sobrecarregasse sobre um só”.

Publicidade