Prevent Senior recomendou tratamento paliativo para paciente com Covid-19 em detrimento de outros, indicam documentos

Familiares do advogado Tadeu Frederico Andrade, de 65 anos, que teve Covid-19 acusam a operadora Prevent Senior de recomendar a adoção de tratamento paliativo, que é oferecido, dentre outras situações, para pacientes incuráveis, para economizar em outros procedimentos. Segundo a família, o cuidado paliativo seria adotado em detrimento de outros tratamentos.

Recuperado, Tadeu encaminhou na última sexta-feira (24) uma denúncia ao Ministério Público de São Paulo (MP-SP). Entre os documentos enviados está um prontuário médico no qual uma médica da operadora orienta a suspensão de uma série de procedimentos médicos, como medicação intravenosa e hemodiálise, e também pede que o paciente não seja submetido a manobra para reanimação cardiorrespiratória. Nesse caso, segundo a família, a suspensão dos procedimentos ocorreu porque para a Prevent era mais vantajoso financeiramente.

Os familiares afirmam que a suspensão de cuidados por pouco não foi adotada sem sua concordância.

Em nota, a Prevent Senior disse que a operadora não toma decisões com base em custos e que, no caso em questão, a empresa deu todo o suporte ao paciente, acatando a vontade dos familiares.

Trecho do prontuário que suspende os medicamentos e tratamentos do paciente — Foto: Reprodução

Trecho do prontuário que suspende os medicamentos e tratamentos do paciente — Foto: Reprodução