Presidente dos Hospitais Filantrópicos de MS, participa de videoconferência para analisar a diferença de custeio entre os hospitais universitários e Filantrópicos.

Nesta segunda-feira (19), aconteceu a reunião virtual do CMB Online, que reúne representantes de diversos hospitais e federações, abordou pesquisa sobre o custo dos hospitais universitários e filantrópicos. Os dados foram apresentados pelo provedor da Santa Casa de Maceió, Humberto Gomes de Melo e contou com a presença de Carlos Silva, da Audisa Auditores Associados e de André Almeida, da Numbers Analytics.
Melo apresentou ainda dados de produção hospitalar, de atendimentos SUS das instituições filantrópicas e ressaltou a problemática do subfinanciamento, que impacta os serviços.
O presidente da CMB, Mirocles Véras, enfatizou que a apresentação é instrumento para a construção de propostas a serem encaminhadas às esferas governamentais e que a Confederação continua trabalhando no projeto de sustentabilidade do setor, junto ao Ministério da Saúde. O presidente da FEHBESUL – Federação das Santas Casas, Hospitais Filantrópicos e entidades beneficentes de MS. Segundo Adm.Ivandro Fonseca, a reunião foi muito produtiva . Não podemos aceitar como referência para custeio dos Hospitais a tabela do SUS. A tabela encontra-se defasada e não é parâmetro para pagamento dos serviços no SUS. O impacto da pandemia em MS, demonstrou que os hospitais de MS, estão com as portas abertas atendendo a nossa população 24hs por dia. As nossas autoridades precisam entender que saúde pública não é despesa. Saúde pública é investimentos, pois a vida humana tem um valor imensurável e não pode ser medido por parâmetros economico-financeiros defasados. Ivandro Fonseca, explica que há mais de 15 anos que não há reajuste nos IAC – Incentivo a contratualização. Estamos trabalhando juntos com os hospitais de MS, para encaminhar uma nova proposta de financiamento para a Rede Hospitalar Filantrópica de MS.