Prefeitura implantará plano de manejo para estruturar a região da Usina abandonada no ceroula

A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Sectur), em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana (Semadur) e Agência Municipal de Meio Ambiente e Planejamento Urbano (Planurb), e Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), estudam a implantação de um plano de manejo para a aba do Córrego Ceroula.

A proposta ganhou força após as equipes realizarem uma visita técnica pela trilha da usina abandonada do Ceroula, localizada na saída para Rochedo, distante 15 quilômetros do centro. O principal objetivo do plano é preservar a área e desenvolver o potencial turístico da região.

“É uma região especial, maravilhosa que poucas pessoas sabem que existe e as que sabem estão vindo deixando muito lixo, depredando demais. Temos que tomar providências, pois é uma área de preservação ambiental, mas que pode ser explorada de forma consciente”, relata a secretaria Municipal de Cultura e Turismo, Nilde Brun.

A trilha

Em uma caminhada de quase cinco quilômetros é possível visitar quatro lindas cachoeiras e também as ruínas da antiga usina abandonada do Ceroula construída na década de 20.

A primeira usina hidrelétrica alimentou quase 50 anos a cidade de Campo Grande. Para chegar até o local é preciso muita disposição. A equipe do Sopa de Pedra, agência de turismo de aventura especializada em roteiros de final de semana acompanhou a equipe de 20 pessoas.

As trilhas são bem demarcadas cruzando o rio em vários pontos seguros e trechos de contemplação e aventura. O passeio termina com a chegada na Cachoeira do Céuzinho.