Polícia encontra 39 corpos dentro de caminhão em Essex na Inglaterra

O motorista, de 25 anos, foi preso por suspeita de homicídio — vítimas ainda não foram identificadas (PA Media)

Corpos de 39 pessoas foram encontrados na madrugada desta quarta-feira dentro do baú refrigerado de um caminhão em Essex, na Inglaterra.

A polícia foi acionada pelo serviço de ambulância pouco antes de 1h40 (horário local), logo após a descoberta dos corpos no Parque Industrial de Waterglade.

A polícia de Essex está transferindo o caminhão para um local seguro, para que os corpos — que permanecem dentro do contêiner — possam ser recuperados.

As vítimas — 38 adultos e um adolescente — ainda não foram identificadas. Fazer isso “continua a ser nossa prioridade número um”, afirmou Pippa Mills, subchefe de polícia, em entrevista coletiva. Mas ela afirmou que isso será um “longo processo”.

O motorista do caminhão, Mo Robinson, de 25 anos, da Irlanda do Norte, foi preso por suspeita de assassinato.

“Prendemos o motorista do caminhão por conexão com o incidente, ele permanecerá sob custódia da polícia enquanto damos prosseguimento às investigações”, afirmou Andrew Mariner, superintendente-chefe da polícia de Essex.

O caminhão, ainda sem o contêiner refrigerado acoplado, teria entrado no Reino Unido por Holyhead, maior cidade do condado de Anglesey no País de Gales, no sábado. De lá, teria cruzado o Reino Unido no sentido oeste-leste percorrendo cerca de 500 km de estradas até às docas de Londres na localidade de Purfleet.

Ainda de acordo com a polícia, o contêiner refrigerado foi transportado por balsa do porto de Zeebrugge, na Bélgica, através do Canal da Mancha, chegando à região portuária de Londres às 0h30 de quarta-feira.

A polícia acredita que o contêiner refrigerado foi então recolhido pelo caminhão nas docas do rio Tâmisa, já em Londres, e teria seguido até o condado de Essex, a cerca de 30 km da região central da capital britânica, onde foi encontrado pelos policiais.

A subchefe de polícia de Essex fez um apelo para que qualquer pessoa que tenha informações sobre a rota do caminhão ou que tenha visto o veículo entre em contato com a polícia.

O Parque Industrial de Waterglade é enorme e abriga várias empresas multinacionais. Glen Freeland, que trabalha na GSF Car Parts, perto de onde os corpos foram encontrados, afirmou que os funcionários da companhia não puderam acessar as instalações da empresa na manhã desta quarta-feira.

“O gerente chegou no trabalho nesta manhã e o local estava isolado, fomos transferidos para uma área diferente”, contou Freeland.

‘Condições horrendas’

A Agência Nacional de Crimes disse que enviou oficiais para ajudar e identificar quaisquer “grupos do crime organizado que possam ter participado”.

Richard Burnett, presidente da Associação de Transporte Rodoviário, entidade de classe que representa o setor no Reino Unido, disse que o contêiner parecia ser uma unidade refrigerada, onde as temperaturas podiam chegar a -25 °C.

Ele descreveu as condições em seu interior como “absolutamente horrendas”.

Um porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da Bulgária confirmou que o caminhão foi registrado no país, “em Varna (na costa leste) sob o nome de uma empresa de propriedade de um cidadão irlandês”.

“A polícia disse ser altamente improvável que [as vítimas] sejam búlgaras”, acrescentou.

‘Trágico incidente’

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, afirmou que estava “chocado com este trágico incidente”.

“Estou sendo atualizado regularmente, e o Ministério do Interior vai trabalhar em estreita colaboração com a Polícia de Essex, à medida que determinamos exatamente o que aconteceu. Meus pensamentos estão com todos aqueles que perderam a vida e seus entes queridos”.

A ministra do Interior, Priti Patel, disse estar “chocada e triste com esse incidente totalmente trágico”. “Colocar 39 pessoas trancadas em um contêiner demonstra um desprezo pela vida humana. A melhor coisa que podemos fazer em nome dessas vítimas é encontrar os responsáveis e levá-los à Justiça.”

O líder trabalhista Jeremy Corbyn disse ser uma “tragédia humana inacreditável”. “Deve ter sido obviamente uma situação desesperadora e perigosa sufocar até a morte em um contêiner.”

Jackie Doyle-Price, parlamentar de Thurrock, em Essex, considerou a “notícia nauseante”. “O tráfico de pessoas é um negócio vil e perigoso”, tuitou Doyle-Price, acrescentando que espera que a polícia de Essex possa “levar os assassinos à justiça”.

Novas rotas de contrabando

Desde que os campos de imigrantes de Calais, na França, foram fechados há três anos e as medidas de segurança foram ampliadas em Dover e no túnel do Canal Mancha, contrabandistas de pessoas se mudaram cada vez mais para outras rotas, diz o jornalista da BBC Mark Easton.

Questionada sobre quais portos estão sendo utilizados, a Agência Nacional de Crimes disse: “Todos eles”.

Métodos mais perigosos estão sendo usados para transportar carga humana. O mais comum é esconder-se na parte de trás de um caminhão, mas cada vez mais estão sendo usados contêineres comerciais, às vezes até mesmo refrigerados.

“Os riscos são substanciais para os migrantes, que podem pagar £10.000 (R$ 52,3 mil) ou mais por um espaço nesses veículos”, diz Easton.

Imigrantes mortos em trânsito

O número de migrantes que morrem em trânsito é registrado pela Organização das Nações Unidas desde 2014. Desde então, cinco corpos de migrantes suspeitos foram encontrados em caminhões ou contêineres no Reino Unido:

Em 2014, um migrante afegão foi achado morto em Tilbury Docks, em Essex, em um contêiner de remessa. Outros 34 afegãos sobreviveram.

Dois imigrantes foram encontrados mortos em uma caixa de madeira enviada da Itália em um armazém em Branston, em Staffordshire, em 2015.

No ano seguinte, um imigrante de 18 anos foi esmagado enquanto viajava agarrado à parte de baixo de um caminhão em Banbury, em Oxfordshire. Também em 2016, um corpo foi achado em Kent no fundo de um caminhão que viajava da França.

Antes disso, em 2000, 58 migrantes chineses morreram sufocados em um caminhão em Dover.