PMA recolhe anta socorrida por capataz de fazenda depois de escapar de caçadores

Policiais Militares Ambientais de Cassilândia foram acionados neste sábado (7.10) por um administrador de uma fazenda, localizada a aproximadamente 100 km da cidade, em razão do recolhimento de um animal silvestre da espécie Tapirus terrestris (anta), que apareceu na propriedade. Segundo o comunicante, o animal apareceu com diversos ferimentos e ele,junto com outros funcionários, conseguiram prender o bicho em um mangueiro de gado.

Ele alimentou e hidratou a anta e ligou imediatamente para a PMA, que levou uma jaula e recolheu o bicho. O animal apresentava diversos ferimentos, arranhões e mordidas, que os policiais concluíram ser de cachorros, possivelmente de caçadores.

A PMA conseguiu atendimento de veterinários para o bicho em Cassilândia e o encaminhará ao Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS), na Capital, que o acompanhará até a possível reintrodução na natureza.

Pesca predatória

Em Coxim, durante operação de fiscalização preventiva, no município, Policiais Militares Ambientais de São Gabriel do Oeste, que trabalham na operação pré-piracema, prenderam no final da tarde de sábado (7.10), um pescador de 58 anos, por pesca predatória. A PMA encontrou o pescador, que praticava pesca com uso de redes, tarrafas e anzóis de galho (petrechos proibidos).

O infrator já havia capturado 20 kg de pescado. Os peixes apresentavam marcas de captura por petrecho de emalhar (rede e tarrafa) e ainda havia exemplares capturados abaixo da medida permitida pela legislação. O pescado, duas tarrafas, uma rede de pesca e 40 anzóis de galho foram apreendidos.

O infrator, residente em São Gabriel do Oeste, recebeu voz de prisão e foi encaminhado, juntamente com o material, à delegacia de Polícia Civil daquela cidade, onde ele foi autuado em flagrante por crime de pesca predatória. O infrator poderá pegar pena um a três anos de detenção. A PMA também o autuou administrativamente e o multou em R$ 1.800,00.