Patrocínios: Atlético-MG fecha novo acordo, aumenta receita e traça 2021 acima do orçamento

No orçamento de 2021 traçado pelo Atlético-MG – e aprovado pelo conselho -, o clube mineiro prevê receber R$ 22.194.000,00 de venda de espaços nas camisas a título de patrocínio. O departamento de negócios do Galo caminha para fechar a temporada acima dessa expectativa. Para tanto, fechou novo acordo de patrocinador máster com a empresa grega Betano, site de apostas esportivas.

O clube soltou um vídeo nesta sexta-feira, anunciando o novo parceiro (veja abaixo). Antigo ocupante do espaço mais caro da camisa, o Banco BMG seguirá no clube, mas com a logo estampada na parte superior traseira. A seguradora AutoTruck também segue, com a marca agora na área frontal inferior. A expectativa de receita anual de patrocínio é da casa dos R$ 30 milhões, conforme informação divulgada pelo jornalista Héverton Guimarães e confirmada pelo ge.

O contrato entre Atlético e Betano – em negociações que chegaram a durar cinco meses – é válido por um ano, com cláusula de renovação por mais 12 meses. O Atlético, além do valor acordado pela exposição da marca, terá ganhos relativos a todas as apostas feitas pelo torcedor do clube, no site da empresa.

Contratos de um ano englobam quase todas as parceiras do Galo – há ainda a Multimarcas Consórcios, perto da gola, e a Premium Saúde no centro, acima do máster. As relações mais longas são com o Banco BMG (três anos), a MRV Engenharia, nas mangas (três anos), o Supermercados BH (parte inferior traseira/cinco anos). No meião, a parceria com a Benevix durará até o fim do Brasileiro, em fevereiro. O espaço disponível está no calção, com a saída da empresa de apostas Betsul.

Vínculos de um ano são avaliados como a política mais certeira do Atlético no mercado, tendo em vista que o espaço na camisa pode ganhar valorização, dependendo justamente dos resultados esportivos da equipe principal.

O departamento de negócios do Atlético, liderado pelo diretor Leandro Figueiredo, tem a previsão de arrecadar os R$ 30 milhões em 2021, superando em boa margem a previsão orçamentária. No orçamento, já havia o projeto de aumentar em 22% os valores de patrocinadores em relação ao plano financeiro traçado em 2020, “em razão da melhora da performance do time e a correspondente exposição na mídia”.

Porém, o ge apurou que houve já o incremento de 25% nas receitas de patrocínio para 2021, em relação ao que efetivamente entrou nos cofres do Galo em 2020 (valores estes que serão conhecidos apenas no fechamento do balanço financeiro do ano passado).