Ômicron passa a ser variante dominante de coronavírus na França

A agência de saúde pública da França afirmou em um comunicado publicado na quinta-feira (30) que a ômicron é a variante do coronavírus dominante no país.

Nesta semana, 62,4% dos testes apresentavam perfil compatível com a variante ômicron, contra 15% na anterior, apurou o órgão público em seu último relatório semanal.

O avanço da variante era esperado –a ômicron também se tornou dominante em Portugal e no Reino Unido.

O ministro francês da Saúde, Olivier Véran, declarou que 10% da população esteve em contato com alguém contaminado e que, diante da velocidade de circulação do vírus por causa da variante ômicron, “quem ainda não foi vacinado tem poucas chances de escapar” de uma contaminação.

Recorde de infecções

 

França está testemunhando um “tsunami” de infecções de Covid-19. Na quarta-feira, o país registrou 208 mil casos novos, um recorde nacional e europeu, disse o ministro da Saúde, Olivier Verán, a parlamentares na quarta-feira. Na quinta-feira, o número também foi de mais de 200 mil notificações.

O país quebrou recordes de Covid-19 várias vezes nos últimos dias. Os 180 mil casos de terça-feira já representam a maior cifra de um país da Europa, de acordo com dados disponíveis no site Covidtracker.fr.