Oito afegãos, incluindo quatro menores, são encontrados em um caminhão refrigerado em Calais, na França

© REUTERS/Peter Nicholls

Oito afegãos, incluindo quatro crianças, foram encontrados na manhã do último domingo, dia 27, no Porto de Calais (Pas-de-Calais), na França, em um caminhão refrigerado com galinhas congeladas, com temperatura de 7 graus centígrados. Os dois motoristas, de nacionalidade romena, foram detidos pela polícia.

Os bombeiros relataram ter socorrido os afegãos em estado de hipotermia, quando os internaram em torno das 5h da manhã. Eles deixaram o hospital no mesmo dia, na parte da noite.

Os migrantes, quatro homens e quatro mulheres, foram descobertos durante o check-up do caminhão, antes que esse embarcasse em uma balsa com destino à Grã-Bretanha, de acordo o Ministério Público francês.

Eles estavam escondidos em um fundo falso da câmara fria sob uma porta trancada pelo lado de fora. O pequeno caminhão, de 3,5 toneladas, carregava galinhas congeladas “apenas para esconder e mascarar a presença a bordo” dos migrantes.

“O contêiner não estava completamente cheio, o que comprovava que não era um transporte real de mercadorias”, disse a fonte.

Ao serem surpreendidos, os dois motoristas entraram em “pânico” e também foram hospitalizados. Ambos estão sob custódia policial.

O caso se repete

O caso acontece em sequência ao episódio recentemente registrado na Inglaterra, onde um outro caminhão frigorífico, com 39 corpos, foi descoberto em uma área industrial de Grays, a 30 km de Londres. A maior parte dos corpos são provavelmente de cidadãos vietnamitas, e não de chineses, como apontou inicialmente a polícia britânica. Ao menos duas famílias do Vietnã temem que seus filhos estejam entre os mortos, de acordo com testemunhos e a polícia.

O contêiner que transportava os migrantes chegou de ferry no porto de Purfleet, no estuário do Tâmisa, vindo de Zeebrugge, na Bélgica, uma hora antes da polícia entrar em cena, alertada pelos serviços de emergência.

O motorista do caminhão, de 25 anos e da Irlanda do Norte, foi preso no local suspeito de assassinato. De acordo a imprensa britânica, trata-se de Mo Robinson, morador de Portadown, no condado de Armagh. A justiça britânica decidiu hoje mantê-lo detido até 25 de novembro.

A polícia de Essex anunciou na sexta-feira, dia 25, três novas prisões nesta investigação: um norte-irlandês de 48 anos, detido no aeroporto de Stansted por tráfico de seres humanos e homicídios, e um casal de moradores da cidade de Warrington, no norte da Inglaterra. O homem e a mulher, de 38 anos, são suspeitos de serem os proprietários do caminhão registrado na Bulgária. Mas em contato com repórteres britânicos antes de serem presos, eles disseram não ter relação com o caso.

Os investigadores começaram as necrópsias na sexta-feira para determinar as causas exatas das mortes, para então iniciar a identificação dos corpos. Ontem, autoridades do Vietnã receberam amostrar de DNA para confirmar se cidadãos do país estão entre as vítimas da tragédia. Estima-se que 24 das 39 vítimas sejam vietnamitas.