Obras em calçadas da Rua 14 de Julho vão agora até às 22 horas

Horário extendido acelera prazos e atende comerciantes, diz nota

Trabalhos em horário extendido acontecem nesta semana na 14 - Foto: Divulgação

Depois de liberar com 15 dias de antecedência trecho interditado da Avenida Afonso Pena, a Prefeitura de Campo Grande anunciou nesta quinta-feira (7) que começou a realizar trabalhos em horário estendido até às 22h na Rua 14 de Julho (região central). Segundo a nota, além de acelerar as obras do Reviva Centro, o objetivo seria o de minimizar os impactos dos lojistas da via.

Segundo a Prefeitura, os serviços feitos nesse horário estendido são nas calçadas. Nessa primeira semana, o trabalho está concentrado na quadra da Rua 14 de Julho entre a Maracaju e Antônio Maria Coelho.

Na nota, o Executivo municipal reforça que a empresa responsável pelas obras informou que não é possível fazer todos os serviços em turno estendido, mas que durante o dia, mais de 200 trabalhadores estão acelerando para entregar a via requalificada até novembro deste ano.

Durante o período de obras, é bom que o cidadão saiba que as lojas da Rua 14 de Julho e imediações continuam funcionando normalmente. Para garantir o acesso dos clientes, foram colocadas travessias e o acesso às lojas está garantido.

AFONSO PENA

Com quinze dias de antecedência em relação ao cronograma apresentado no final do ano passado pela empresa responsável pelas obras do Reviva Centro, o trecho da Rua 14 de Julho com a Avenida Afonso Pena, sentido Parque dos Poderes, na região central, estará liberado a partir desta quarta-feira (30).

No local, foram feitas as infraestruturas pesadas, que incluem rede de drenagem e elétrica. A antecipação da entrega foi possível porque as chuvas não foram tão intensas como normalmente são neste período, além das equipes terem trabalhado em horário estendido.

No mesmo dia, dando continuidade às obras, será interditado o lado contrário da pista, sentido aeroporto, onde serão executados os mesmos trabalhos. O prazo de conclusão dos serviços é de 45 dias.

Para orientar os motoristas e a população em geral, foram instaladas faixas de aviso quanto aos possíveis desvios no trânsito.

DESVIOS

A Prefeitura aconselha os motoristas que circulam pela região a utilizarem algumas rotas alternativas propostas.

Para quem está indo em direção ao aeroporto e região da Av. Júlio de Castilho (região norte), pegar as ruas 13 de junho, Padre João Crippa e Rui Barbosa, acessar pela rua Dom Aquino ou Maracajú e, se for possível, evitar a Rua Dom Aquino, já que a mesma receberá um grande fluxo de ônibus de transporte coletivo;

Para quem está indo em direção ao bairro Amambai (região central) e região da Avenida Bandeirantes (região sul), pegar a Rua Pedro Celestino ou 13 de Maio e acessar pela Avenida Fernando Correa da Costa. Se for possível, evitar a Rua 15 de Novembro, já que a mesma está recebendo um grande fluxo de veículos e provocando ponto de lentidão.

PRAZOS

O cronograma revelado pela Prefeitura e a empresa responsável pelas obras prevê que elas cheguem em fevereiro ao cruzamento das avenidas Calógeras e Mato Grosso, no entorno da Esplanada Ferroviária. A previsão de liberação total é somente no final do mês seguinte, caso não ocorra atrasos por conta de chuvas.

De acordo com a Prefeitura, os serviços agendados para o local são basicamente de drenagem. Ela foi iniciada no fim de dezembro, na Avenida Ernesto Geisel, no Amambai (região central), e seguirá pela Mato Grosso.