NOVA LEI DO PRODES, POLO DE TECNOLOGIA E REESTRUTURAÇÃO DE INCUBADORAS VÃO MOVIMENTAR A ECONOMIA

O ano de 2021 será de investimento no desenvolvimento econômico em Campo Grande. A modernização do Programa de Incentivos para Desenvolvimento Econômico e Social de Campo Grande (PRODES), reestruturação das incubadoras e o Polo de Tecnologia e a Rota de Integração Latino-Americana  vão impulsionar a economia em Campo Grande.

A nova Lei do Prodes vai desburocratizar o acesso aos benefícios, possibilitando a atração de mais empresas e abrindo espaço para as já instaladas em Campo Grande, apoiando o pequeno, médio e grande empresário.

Campo Grande também ganhará um Polo de Tecnologia e Inovação que abrirá acesso a um amplo espaço para pesquisas e estudos, aberto permanentemente à comunidade.

O Agronegócio será impulsionado pela promoção e incentivo à implantação de novas agroindústrias e a implantação do Centro de Referência e Fortalecimento da Agricultura. São projetos estruturantes de grande porte, visando fortalecer a agricultura orgânica e familiar.

As quatro incubadoras municipais serão modernizadas e reestruturadas, permitindo assim maior diversificação das empresas incubadas.

Na área de Comércio Exterior, teremos a implementação da RILA – Rota de Integração Latino Americana, inserindo Campo Grande. Ela é uma das apostas para transformar Campo Grande em protagonista da rota que ligará o Atlântico ao Pacífico.

SEDESC em 2020

Mesmo com dificuldade, por conta da pandemia, que impediu reuniões presenciais, o Codecon realizou 13 reuniões, que garantiram a aprovação de 49 projetos, em mais de R$ 167 milhões de investimentos, para geração de 1.027 novos empregos.

No agronegócio, a consolidação no processo de implantação das hortas urbanas e a aprovação do Plano Municipal de Agricultura Urbana contribuíram para a promoção de práticas agroecológicas de forma eficiente e sustentável, aproveitando os recursos e insumos locais. O SIM (Serviço de Inspeção Municipal) também realizou um trabalho eficiente na identificação e certificação de empresas que trabalham com produtos de origem animal que sejam produzidos, manipulados.

Nas Salas do Empreendedor das quatro Incubadoras Municipais foram atendidos 3.366 empreendedores. Desses, 249 foram solicitações para abertura de inscrição como MEI (Micro Empreendedor Individual).  Em todas as ações realizadas nas quatro Incubadoras, foram registrados 18.401 atendimentos entre pessoas físicas e empreendedores da comunidade.