No feriado e com autorização do Imasul, árvores são cortadas de área no Parque dos Poderes em Campo Grande

Em pleno feriado e com autorização do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), uma área de aproximadamente 1 hectare de vegetação teve as árvores cortadas no Parque dos Poderes, em Campo Grande.

A área em que ocorreu a supressão vegetal fica ao lado do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS) e da Receita Federal. O acesso à mata, diferente de outros locais do Parque dos Poderes está restrito, por conta de um grande portão.

Na noite de sábado (12) havia segurança e uma limpeza estaria sendo feita após a retirada das árvores. Um documento apresentado aponta que o TJ-MS tem autorização para o corte e também fala de compensação pela retirada de espécies protegidas, como o cumbaru.

Em nota o TJ-MS informou que desenvolveu um projeto sustentável para uso da área contígua à sua sede no Parque dos Poderes.

Segundo o órgão, não se trata de simples desmatamento e sim de um procedimento regular autorizado pelo órgão competente de meio ambiente, com base na lei de 2018, que criou o Complexo dos Poderes e estabeleceu o Programa de Preservação, Proteção e Recuperação Ambiental das áreas que abrangem o Parque Estadual do Prosa, o Parque das Nações Indígenas e o Parque dos Poderes, e entre as providências, definiu as únicas áreas passíveis de supressão vegetal dentro do complexo do Parque, sendo a área em questão uma delas.

O TJ-MS não explicou, entretanto, o que será feito no local onde as árvores foram retiradas. A reportagem também entrou em contato com a assessoria do Imasul, mas até a publicação não obteve o retorno.