No dia seguinte do Brexit, britânicos e estrangeiros veem futuro incerto

O Reino Unido amanheceu, hoje, fora da União Europeia. Muitos britânicos e estrangeiros ainda estão inseguros sobre o que vai mudar nesta nova era.

Viúvas e viúvos da União Europeia nunca vão se esquecer da ressaca deste sábado. Um deles diz que está deprimido; outra, que parece que alguém da família morreu.

O presidente francês falou que está tentando tirar lições do Brexit. Emmanuel Macron deve estar pensando em como lidar com o Frexit, movimento ainda tímido de franceses que também adorariam sair do bloco europeu com os mesmos argumentos: por mais autonomia e menos imigrantes.

“Quer saber? Sinto cheiro de liberdade”, diz um britânico.

Muitos jornais lamentaram. O “The Guardian” foi solene: “O dia em que dissemos adeus”. O conservador “Daily Express” fala num “novo e glorioso Reino Unido”. Outro faz a pergunta de um milhão de libras: e agora?

E agora começou um período de transição de 11 meses. Nada muda muito, ainda, na prática. Reino Unido e União Europeia se divorciaram, mas precisam continuar conversando sobre acordos comerciais, segurança, a livre circulação de pessoas.

Se o futuro dos britânicos ainda é incerto, muita gente escolheu não esperar.

A manicure e depiladora brasileira Maristela Pereira tem um visto italiano ligado ao passaporte do marido. Tudo indica, pelas negociações até agora, que Maristela não vai ter problema para continuar no Reino Unido, já que chegou antes do Brexit.

Mas preferiu se garantir. Para tirar o passaporte britânico, ela precisava fazer uma prova de conhecimentos gerais da cultura do Reino Unido com cada perguntinha….

“Quantos pences tem em um pound?”

No dia da prova, Maristela não passou. No mês seguinte, foi lá tentar de novo. Agora é só esperar chegar o documento à prova de Brexit.