Nicolás Maduro rejeita novas eleições

Nicolás Maduro pede 20 anos de prisão para manifestantes violentos — Foto: Manaure Quintero/Reuters

O regime de Nicolás Maduro rejeitou neste sábado (26) a hipótese de promover novas eleições. A convocação de um novo pleito era uma condição imposta por França, Alemanha, Reino Unido e Espanha para que os países europeus não reconhecessem Guaidó como presidente.

Diosdado Cabello, presidente do PSUV, o partido chavista, disse que os líderes desses países deveriam “pensar duas vezes” antes de falar sobre a Venezuela.

Os líderes europeus deram um prazo de oito dias para que a Venezuela organizasse novas eleições. Caso isso não ocorresse, os países passariam a reconhecer Juan Guaidó como presidente, somando-se aos EUA e se distanciando da Rússia.

Nicolás Maduro reiterou que se preciso for, “Vai ao Combate”.