Navio MSC Preziosa tem 28 pessoas com Covid; Polícia Federal é acionada após confusão com passageiros

RIO — São 28 os passageiros a bordo do navio MSC Preziosa, que atracou no Pier Mauá, na Zona Portuária do Rio, na manhã deste domingo, detectados com Covid-19. O número foi atualizado pela Secretaria Municipal de Saúde do Rio, nesta tarde. Por sua vez, a empresa diz que “todos estão assintomáticos ou com sintomas leves” e foram testados. A embarcação chegou a ancorar na Praia de Copacabana durante a virada do dia 31, e seguiu para Búzios, na Região dos Lagos, antes de voltar à capital. A MSC informou que “os casos confirmados são desembarcados de forma segura para que retornem para casa ou fiquem em hotéis para o período de isolamento”. Por volta das 13h30, os passageiros começaram a deixar o navio.

Segundo a nota da secretaria, os passageiros com casos positivos, se forem moradores do Rio e cidades próximas poderão cumprir isolamento em domicílio. Os de fora, serão isolados em hotéis específicos. Destacou ainda que o Centro de Informação Estratégica em Vigilância em Saúde do município vai monitorar os casos em residentes na cidade. A orientação é de uma quarentena de 14 dias.

Técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) entraram na embarcação. Às 11h20, uma equipe da Polícia Federal chegou para “acompanhar a situação” depois que dois casais conseguiram abandonar o navio antes do permitido pela empresa. O clima chegou a ficar tenso quando outros passageiros também tentaram sair da embarcação. Pouco depois, seguranças particulares foram colocados em frente ao navio.

Passageiros formam fila para sair de navio em que passageiros foram diagnosticados com Covid-19 Foto: Pablo Feder
Passageiros formam fila para sair de navio em que passageiros foram diagnosticados com Covid-19 Foto: Pablo Feder

A Anvisa informou, nesta tarde, que foram identificados dois tripulantes com teste positivo para Covid-19. Além dos tripulantes, testaram positivo 26 passageiros. ” De acordo com as informações do diário de bordo, estão assintomáticos ou com sintomas leves. Todos os passageiros e tripulantes foram orientados a fazer a autoquarentena”, diz a nota, acrescentando que “as autoridades identificaram os contactantes, ou seja, pessoas que tiveram contato com casos positivados de Covid-19. Todos os contactantes devem permanecer em isolamento após desembarque.”

O piloto Pablo Feder contou que havia uma fila com prioridade pra deixar o navio. A MSC distribuiu pizza para os tripulantes. Muitos deles estavam irritados com a demora.

— Existe uma fila muito grande que está dando voltas dentro do navio. O pessoal da recepção disse que a prioridade é para idosos e pessoas com crianças. No entanto, não anunciaram nada nos altos falantes sobre poder deixar aqui — destacou.

O farmacêutico Fábio Carrilho contou que quem estava dentro do navio temia ter que ficar de quarentena no local. Ele disse que um áudio foi passado na embarcação orientado os passageiros a se isolarem em casa.

– Não ficamos sabendo de nada (sobre desembarcar ou não), era só boato. No final, eles passaram um áudio atribuído a Vigilância Sanitária dizendo que era para a gente ir para casa e ficar isolado e quem tiver algum sintoma é para procurar um Posto de Saúde – conta Carrilho, que completa:

– (Após descobrirem os casos) Todo dia saía um informativo e a gente foi testado. Depois dessa luta, estar em terra firme é aliviante. Não sabíamos o tempo que iríamos ficar aqui porque não tinha informação nenhuma do desembarque. O meu medo era não descer e ficar aqui por vários dias. Até porque, tenho que ir para casa porque tenho que trabalhar amanhã.

O bombeiro militar Orlando Frade, é de Belém do Pará. Ele lembra que muitas pessoas estavam desesperadas porque perderam os voos para suas cidades. Ele contou que após o diagnostico do surto, todos a bordo passaram a fazer testagens rotineiramente.

– Eu nunca fiz tanto exame na minha vida para sair dele. Essas horas que passamos lá foram terríveis porque muita gente não mora no estado do Rio e precisam voltar para seus estados de origem. Uma moça estava desesperada porque perdeu uma passagem de R$ 4 mil e teria que comprar outra. Graças a Deus a minha viagem é para a noite, para Belém do Pará, mas muitas pessoas perderam seus embarques – destacou o homem que desceu pouco depois das 14h20.

A detecção da doença foi feita neste sábado. A MSC Cruzeiros disse que o número de pessoas contaminadas representa 0,6% do total da população a bordo — cerca de 3,3 mil pessoas. A empresa destacou que todos os infectados estão isolados. Além deles, contatos mais próximos foram separados dos demais tripulantes e estão em cabines com varanda.

De acordo com a MSC Cruzeiros, “as autoridades de saúde acompanham de perto as operações”. A empresa destacou que não vai suspender a viagem do MSC Preziosa. As paradas seguirão “conforme o planejado”.