Mudou a bandeira. O lockdown permanece!

Quem vive da noite ainda está em lockdown, sem poder trabalhar, os prejuízos, as falências, as demissões, o desemprego, as perdas, a depressão tomam conta dos salões, cozinhas, mesas, espaços, deixando um enorme vazio e a sensação de que esses trabalhadores não têm valor, não são merecedores de respeito.

Apesar das inúmeras tentativas de diálogo, quem toma as decisões parece ignorar os fatos: a mudança da bandeira do Prosseguir, que altera o toque de recolher para 21 horas, não atende a necessidade de quem está sem poder trabalhar a mais de um ano.

As equipes de garçons, da limpeza, da manutenção, os músicos, os técnicos, os decoradores, os fornecedores dos eventos, não conseguem atender por delivery. Precisamos de mais tempo para trabalhar com segurança, para que os clientes voltem, consumam, para que não tenhamos que demitir ainda mais, para que consigamos sobreviver.

O setor noturno precisa ser ouvido pelo Governo, pois as despesas, os salários vencidos, os impostos, batem às suas portas fechadas pelas restrições.