Motorista de aplicativo desconfia de entrega e leva polícia a prender suspeito de golpes com compras pela internet

A desconfiança de um motorista de aplicativo de Campo Grande em relação a uma entrega levou a Polícia Militar (PM) a prender um suspeito de golpes com compras pela internet. O rapaz de 19 anos confessou o envolvimento em 9 casos de estelionato e disse ainda que agia a mando de um presidiário e da esposa dele.

Conforme o boletim de ocorrência, o motorista recebeu pedido para pegar um quadriciclo elétrico infantil em uma residência e entregar em um determinado endereço.

Quando o motorista seguia para a entrega, o solicitante mudou o endereço duas vezes. O trabalhador então desconfiou e avisou policiais militares que estavam em frente a uma delegacia.

Policiais seguiram com o motorista de aplicativo para o endereço da entrega e quando se aproximaram, já no início da madrugada desta segunda-feira (04), viram que um rapaz saiu correndo da residência. Ele acabou abordado e confessou que estava tentando fugir porque estava envolvido em golpes com compras pela internet.

De acordo com o registro policial, o rapaz contou que agia a mando de um presidiário e da esposa dele e que já estava envolvido em outros 9 golpes que funcionava da seguinte forma: Eles entravam em contato com o vendedor do produto, faziam um falso depósito e enviavam um suposto comprovante.

Os suspeitos então pediam a motoristas de aplicativo que buscassem e entregassem os produtos em endereços indicados por eles e depois os revendiam. O rapaz, segundo a versão dele à polícia, ficava com R$ 60 por objeto revendido.

Ele também falou à polícia que já havia revendido três máquinas de frango, 5 Pneus de camionete BF GoodRich, dois jogos de cadeiras de plástico, entre outros objetos.

O presidiário suspeito de envolvimento nos golpes ainda ameaçou, por telefone, o motorista de aplicativo, dizendo que iria matar ele e a família.

O jovem foi autuado em flagrante por estelionato e associação criminosa. O presidiário, de 55 anos, por coação e a esposa dele, de 44, por estelionato. Ela não foi localizada.