Mesmo com fronteira “fechada”, Shopping China e Planet reabrem dia 5

Anúncio foi feito no início da tarde de hoje e aumenta pressão sobre governo paraguaio

Planet Outlet reabre segunda-feira, assim como o “irmão” Shopping China (Foto: Ademir Almeida)

Queridinhos dos turistas brasileiros e principais destinos turísticos da fronteira antes da pandemia do novo coronavírus, Shopping China e Planet Outlet, os dois maiores shoppings de importados de Pedro Juan Caballero, reabrem no dia 5 de outubro, próxima segunda-feira.

“É hora de voltar, reabertura oficial dia 5 de outubro”, diz comunicado divulgado no início da tarde desta quinta-feira (1º) pelo Shopping China. A loja está fechada desde março, quando foi declarada a pandemia de covid-19.

A nota não cita o Planet, mas o presidente da Câmara de Comércio de Pedro Juan Caballero, Víctor Hugo Barreto, afirmou que essa loja também reabre no dia 5.

Os dois shoppings pertencem ao grupo Cogorno, assim como o Maxi Hipermercado, que no mês passado anunciou fechamento das três lojas da cidade e demissão de 700 funcionários. Os mercados já voltaram a funcionar.

A reabertura do Planet e do Shopping China, maior loja de importados da América Latina, coloca ainda mais pressão sobre o governo paraguaio para o fim do bloqueio aos brasileiros.

Na semana passada, após protesto dos comerciantes de cidades fronteiriças, o governo de Mario Abdo Benítez anunciou a reabertura em Ciudad del Este, Salto del Guairá e Pedro Juan Caballero.

Moradores dessas cidades acreditavam que o fim do bloqueio ocorreria no dia 29, mas foram frustrados pela decisão do governo Bolsonaro de renovar até 26 de outubro o fechamento das fronteiras brasileiras.

Ontem, o chanceler paraguaio Antônio Rivas anunciou que estão adiantadas as conversas entre governos dos dois países e a data de reabertura deve ser anunciada em breve. Segundo ele, primeiro será preciso definir protocolo de biossegurança entre autoridades de saúde dos dois países, para impedir aumento dos casos de covid-19 após a reabertura.

Ultimato – Comerciantes de Ciudad del Este, Salto del Guairá e Pedro Juan Caballero se uniram para pressionar o governo do país vizinho a reabrir o quanto antes a fronteira para os turistas brasileiros.

Entidades que representam empresários das três cidades divulgaram documento hoje dando mais oito dias de prazo ao governo para o fim do bloqueio fronteiriço. “A economia morta na fronteira é muito pior que a pandemia do novo coronavírus”, afirmam.

“Caso o governo não cumpra com a abertura total no prazo estabelecido, convocamos paralisação geral dos trabalhadores por tempo indefinido e vamos fechar a Aduana e todos os entes arrecadadores do Estado”, diz o documento entregue ao governo paraguaio.

Em Pedro Juan Caballero, no entanto, apesar de a fronteira continuar oficialmente fechada, a circulação de pessoas de um lado ao outro da Linha Internacional aumentou consideravelmente nas últimas duas semanas.

Parte das barreiras montadas nos acessos entre as duas cidades já foi desativada. Alguns militares armados continuam nos pontos de bloqueio, mas a maior parte da cerca de arame farpado instalada em março já foi retirada.