Medalhistas japoneses na Tóquio 2020 são alvos de ataques nas redes sociais

A suspensão de público nas competições em Tóquio impulsionou ainda mais o uso das redes sociais de torcedores para empurrar os competidores que buscam pelo sonho olímpico. O problema é quando a torcida on-line dá lugar ao abuso e ao desrespeito com quem arrancou um lugar no pódio nas Olimpíadas 2020 depois de cinco anos de preparação. É o que tem ocorrido com atletas da delegação japonesa, que viram suas contas serem tomadas por enxurradas de ataques após faturarem medalhas.

Após ouro na final do individual geral da ginástica artística, Daiki Hashimoto foi alvo de ataques em suas redes — Foto: Getty Images

Após ouro na final do individual geral da ginástica artística, Daiki Hashimoto foi alvo de ataques em suas redes — Foto: Getty Images

A onda de ataques ocorre, sobretudo, em competições de pontuação, cujos torcedores oponentes julgam equivocadas, destilando suas insatisfações contra quem levou a melhor nas finais. Foi o caso do ginasta Daiki Hashimoto. Aos 19 anos, ele se tornou o mais jovem a faturar a medalha de ouro no individual geral masculino. O feito, no entanto, acabou em segundo plano diante das críticas que recebeu pelo desempenho, colocando em xeque a alta pontuação que recebeu, de 9.2 em 10 disputados. A repercussão rendeu uma declaração da Federação Internacional de Ginástica, que ratificou o resultado e a classificação geral. Ainda assim, Hashimoto fugiu de qualquer polêmica.

– Acho que faz parte do apelo do esporte que faz as pessoas elogiarem umas às outras e tentarem melhorar aprendendo com os outros. Espero que mais pessoas reconheçam e elogiem os atletas que se esforçam para representar seu país, e menos pessoas cometerão atos considerados caluniosos – declarou

Ataques de brasileiros

 

Medalha de prata no surfe masculino, Kanoa Igarashi foi outro japonês que recebeu comentários ofensivos sobre a pontuação recebida pelos juízes. Depois de deixar de fora o brasileiro Gabriel Medina nas semifinais, que culminou com o ouro de Ítalo Ferreira, ele se deparou com diversos ataques, apesar de publicações reconhecendo o exagero na ira da torcida brasileira.

Ataques contra Kanoa Igarashi nas Olimpíadas  — Foto: Reprodução/redes sociais

Ataques contra Kanoa Igarashi nas Olimpíadas — Foto: Reprodução/redes sociais

Serviço 24 horas

 

Diante da onda de ataques, sobretudo, aos atletas japoneses, o Comitê Olímpico Internacional (COI) declarou que está acompanhando de perto a situação e que cogita pedir às empresas de mídia social que restrinjam postagens online inadequadas. O COI também afirmou que irá aprimorar o acesso a atendimentos para preservar a saúde mental dos atletas. A entidade lançou um serviço de consultoria 24 horas por dia, por telefone, e-mail e outros meios em mais de 70 idiomas para competidores dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio e nos Jogos de Inverno de Pequim 2022.

Jun Mizutani venceu as duplas mistas pelo Japão  — Foto: Getty Images

Jun Mizutani venceu as duplas mistas pelo Japão — Foto: Getty Images

Para o mesa-tenista japonês Jun Mizutani, que levou o ouro nas duplas mistas ao lado da conterrânea Mima Ito ao derrotar a dupla da China, os pedidos para que “desaparecesse”, entre outros recebidos, não afetam suas conquistas. Ele chegou a publicar nas redes sociais: “Sou tão imune que meus sentimentos não se machucam”. A postagem foi apagada logo depois.