‘Marco sombrio’ de 500 mil mortes e ‘protestos contra o presidente’: a tragédia brasileira na imprensa internacional

O trágico número de 500 mil brasileiros mortos em decorrência da covid-19 registrados no sábado (19/6) e os protestos contra o presidente Jair Bolsonaro ocuparam as páginas dos principais veículos internacionais neste fim de semana.

A cobertura da imprensa internacional sobre os 500 mil mortos no Brasil e as marchas afirma que há uma indignação crescente dos brasileiros contra o presidente Jair Bolsonaro – apontado, nos protestos, como culpado pelo número alto de vítimas da pandemia no país. Também retrata a situação “crítica” do Brasil, onde a vacinação lenta e o descontrole do vírus pode levar a uma terceira onda e um número maior de mortos pelo vírus.

“Brasil ultrapassa marco sombrio de 500 mil mortes por covid-19 em meio a protestos contra a resposta de Bolsonaro”, diz o título de reportagem do jornal britânico The Independent.

A foto principal que ilustra a reportagem é de uma mulher em um protesto com a frase “Fora Bolsonaro” estampando sua máscara.

 O jornal britânico The Independent retrata as manifestações no Brasil no dia em que se atingiu 500 mil mortes por Covid-19. — Foto: Reprodução

O jornal britânico The Independent retrata as manifestações no Brasil no dia em que se atingiu 500 mil mortes por Covid-19. — Foto: Reprodução

No sábado (19/06), mesmo dia em que o Brasil alcançou 500 mil mortes na pandemia, milhares de pessoas em todos os 26 Estados do Brasil, além do Distrito Federal e cidades do exterior, saíram em manifestações contra Bolsonaro.

“Críticos dizem que a rejeição de Bolsonaro às restrições à covid-19, como medidas de distanciamento social e uso de máscaras, e sua promoção de tratamentos refutados, como a hidroxicloroquina, são em parte responsáveis pelo enorme número de mortes no país e pela lenta campanha de vacinação”, diz a reportagem do Independent.

O jornal britânico The Guardian registrou em reportagem que os protestos contra Bolsonaro têm ganhado “impulso” em meio a uma curva ascendente de casos de covid-19 no país.

“O presidente brasileiro, que subestimou a pandemia e resistiu às medidas de contenção, está sendo investigado no Congresso porque seu governo ficou para trás na aquisição de vacinas, mas incentivou o uso de drogas ineficazes como a cloroquina”, registrou o jornal.

O jornal britânico The Guardian registrou que manifestações contra o presidente Bolsonaro tem ganhado impulso. — Foto: Reprodução

O jornal britânico The Guardian registrou que manifestações contra o presidente Bolsonaro tem ganhado impulso. — Foto: Reprodução

A BBC destacou como o Brasil alcançou 500 mil mortes em meio a uma situação “crítica”, com uma crise que pode piorar pela vacinação lenta e o início do inverno.

“O vírus continua a se espalhar enquanto o presidente Jair Bolsonaro se recusa a apoiar medidas como o distanciamento social.”

O portal do jornal BBC destacou que o Brasil alcançou 500 mil mortes em meio a uma situação "crítica". — Foto: Reprodução.

O portal do jornal BBC destacou que o Brasil alcançou 500 mil mortes em meio a uma situação “crítica”. — Foto: Reprodução.

O espanhol El País publicou reportagem no sábado (19/6) destacando como os “meio milhão de mortos” por covid-19 compõem o segundo maior número do mundo.

“O triste marco de 500.000 mortos é chocante. O único país onde mais pessoas perderam a vida devido à doença foram os Estados Unidos”, diz o texto, em que há vozes de brasileiros que perderam entes queridos.

O espanhol El País destacou como os "meio milhão de mortos" por covid-19 compõem o segundo maior número do mundo. — Foto: Reprodução

O espanhol El País destacou como os “meio milhão de mortos” por covid-19 compõem o segundo maior número do mundo. — Foto: Reprodução