Justiça condena três pela morte e ocultação do corpo do ex-vereador de Campo Grande

O juiz da 6ª Vara Criminal de Campo Grande Waldir Peixoto Barbosa condenou os dois acusados de matarem o ex-vereador Alceu Bueno (PSL), em setembro de 2016, além de Kátia de Almeida Rochaque também teria participado do crime de ocultação de cadáver.

O processo está em segredo externo, segundo a assessoria do fórum, e por isso as penas de cada réu não foram divulgadas, sob pena de investigação. Os três foram presos no dia 28 de dezembro de 2016.

Os réus Elpídio César Macena do Amaral e Josian Edson Cuando Macena foram condenados pelos crimes de roubo seguido de morte e ocultação de cadáver. Juntos, as penas ultrapassam 30 anos de reclusão para cada acusado.

Já Kátia que foi condenada apenas por ocultação de cadáver, a pena é reclusão de um a três anos e multa, segundo o Código Penal.

Emboscada

Na época das investigações, o delegado Edilson dos Santos, titular da Delegacia Especializada de Repressão à Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros (Garras), disse que no dia anterior à morte Kátia armou um encontro com a vítima, depois de ter se separado há pouco tempo e estar tendo um relacionamento com o Elpídio.

Kátia afirmou à polícia estar incomodada com as mensagens recebidas pelo vereador, que sempre a convidava para sair. Ela teria contado tudo ao companheiro, o que gerou ciúmes.

No encontro, Kátia e o ex-vereador saíram para lanchar e ela viu dois montes de R$ 100 com Alceu. Na volta, o vereador foi convidado para entrar na casa dela, mas não aceitou. Com a negativa e a informação do dinheiro, ela marcou outro encontro.

No segundo encontro, Bueno aceitou o convite para entrar na casa de Katia. A investigação apontou que Elpídio e Josian, sobrinho dele, estavam escondidos dentro da casa com um martelo e uma tábua de carne.

 

A mulher disse à vítima que iria fechar a porta da casa, mas saiu para avisar aos comparsas que Alceu já estava lá. Ele foi surpreendido e brutalmente ferido a pauladas. Mesmo com diversos ferimentos e agonizando, a vítima ainda levou um golpe no pescoço com um cinto e então morreu.

Fonte: G1/MS (Foto: Osvaldo Nóbrega/ TV Morena)