JOVENS DE FORTALEZA SE DESTACAM NO PROGRAMA LIDERANÇA JOVEM VOLTADO À INCLUSÃO DE PCD E PNE NA CAPITAL

Os dez jovens de Fortaleza, que foram selecionados pelas vivências comunitárias nas suas áreas de atuação participantes do Programa Liderança Jovem, desembarcaram na Capital no último dia 10 de março. Eles trazem suas experiências para aplicar nas ONG ‘s de Campo Grande buscando a inclusão social de crianças e jovens com algum tipo de deficiência (PcD) e necessidade especial (PNE).

As instituições que receberam os jovens foram: Associação Juliano Varela, Instituto Sul-mato-grossense para Cegos “Florivaldo Vargas” – ISMAC e Instituto Mirim.

O ISMAC, tem mais de 60 anos trabalhando na reabilitação, habilitação e inclusão de pessoas cegas ou com baixa visão. Diversos serviços são ofertados pela entidade e foi uma das ONGs que receberam os intercambistas de Fortaleza. Israel de Freitas, estudante de Dança na Universidade Federal do Ceará (UFC), criou no ISMAC e na Associação Juliano Varela (AJV), aulas de dança inclusiva, ambas pioneiras nas instituições.

A dança de salão para pessoas com deficiência visual no ISMAC de forró e xote nordestino está com a turma lotada.

Na AJV foi criado o primeiro grupo de break down, dança originária na década de 70 e oriunda do Hip Hop.

“Estou aqui para passar um pouco do meu conhecimento, gerar inclusão e acessibilidade para todo o público, a dança está para quebrar preconceitos e paradigmas” – afirma um dos participantes, Israel de Freitas.

O Instituto Mirim de Campo Grande é uma instituição não governamental, sem fins lucrativos, com mais de 40 anos de experiência, que atua e desenvolve suas atividades pautadas pelas políticas públicas de Assistência Social e de Proteção aos Direitos da Criança e do Adolescente e pelas Políticas do Trabalho e Emprego.

A programação com os jovens de Fortaleza está bem diversificada, rodas de conversas foram abertas e mais de 400 jovens se inscreveram para dialogar com a juventude fortalezense. Eles contam suas experiências e inspiram as crianças e adolescentes a terem posicionamento e liderança nas suas vivências comunitárias.

“Aqui no Mirim nos deparamos com diversos jovens que precisam ouvir um pouco da nossa história, porque um dia éramos nós que estávamos ouvindo outras lideranças e tomando um rumo na nossa vida. A juventude precisa entender a importância do papel deles na vida pública, ocupar espaços e dar voz aos que precisam” – explica, Rebeca Sales, estudante de Serviço Social na Universidade Estadual do Ceará (UECE).

Na Associação Juliano Varela eles têm como objetivo promover programas para o pleno
desenvolvimento de pessoas com síndrome de Down, microcefalia e espectro autista.

Os intercambistas de Fortaleza na AJV, estão organizando um espetáculo para o dia mães, além de estarem desenvolvendo e melhorando atividades institucionais com os funcionários e responsáveis de alunos.

O estudante de jornalismo, Jardel Sousa, chegou na AJV e já foi direto para o setor de comunicação e marketing, aplicando todo seu conhecimento e dando uma nova cara ao departamento.

“O conhecimento não pode parar, ele tem que transbordar de mim, da forma que recebi tenho que passar. Aqui eu não sou um intercambista, somos uma família. É incrível o amor que esses garotos passam para nós” – declara, Jardel Sousa.

A Secretária da Juventude, Laura Miranda, explica que a vinda desses jovens para Campo Grande traz uma troca rica de experiência à população jovem local.

“Todos os intercambistas de Fortaleza foram distribuídos de acordo com suas habilidades, com a experiência deles estão inspirando vários adolescentes e jovens daqui. Esperamos que eles deixem muita bagagem, mas que levem as melhores referências de Campo Grande” – enfatiza, Laura.

Os jovens ficam na cidade até o dia 10 de maio, até lá, a Prefeitura de Campo Grande, através da Secretaria da Juventude, criou uma programação especial para acompanhar e mostrar toda diversidade cultural e regional da capital.

FonteAgência Municipal de Campo Grande