Inauguração de gibiteca e atividades culturais marcam Dia do Livro na Reme

Foto: Cleiton Queiroz

Comemorado na próxima quinta-feira (18), o Dia Nacional do Livro Infantil está sendo lembrado na Rede Municipal de Ensino (Reme) até esta quarta-feira (17), com diversas atividades culturais em mais de 20 unidades escolares. As ações foram elaboradas em parceria com a equipe da biblioteca da Secretaria Municipal de Educação (Semed).

Por ser feriado, as escolas anteciparam as ações, que tiveram início nesta terça-feira (16). Um dos primeiros eventos aconteceu na escola Oliva Enciso, que inaugurou uma gibiteca com mais de 1050 exemplares e que irá contemplar os 1238 alunos da unidade.

A inauguração teve um momento de inclusão social, com a apresentação de uma música na Língua Brasileira de Sinais com alunos do 5 ano. Após a inauguração do espaço, que funciona dentro da biblioteca, o professor e doutor em Linguística, Nataniel Gomes, ministrou palestra aos alunos e profissionais que atuam na gibiteca, sobre a importância e como utilizar as histórias em quadrinhos no processo de ensino-aprendizagem.

Responsáveis pelo espaço, as professoras Dóris de Souza Quintela Lima, Mari Inês Correa Lopes e Ana Karla Piedadenes e Ana Carla,  estão organizando o projeto Parada Gibitória, que consiste em levar os alunos à gibiteca com a proposta de incrementar algum conteúdo que estejam estudando ou simplesmente realizarem leituras recreativas. “Nós já temos o Recreio Literário, onde os alunos podem desfrutar dos livros ao invés de ficarem no pátio. Dessa forma otimizamos o uso do local”, explicou a professora Dóris.

A diretora-adjunta da escola, Elismar Fernandes da Rocha Macedo contou que a ideia de criar a gibiteca surgiu a partir da doação dos gibis por meio de um projeto da escola Harmonia, que arrecadou os gibis e, por intermédio do professor Nataniel Gomes, levou o material para a escola. “Quisemos enaltecer a data e nossa biblioteca organizando essa inauguração. Também chamamos alguns pais para lerem livros para os filhos como forma de incentivar essa prática entre as crianças”, disse a diretora-adjunta Elismar.

União

Para o professor Nathaniel Gomes, o fascínio dos jovens com a leitura de HQs é devido às adaptações recentes do universo dos super-heróis feitas pelo cinema. Na sua opinião, esse tipo de literatura estimula o aluno a conhecer o mundo da literatura. “É uma porta de entrada e as possibilidades de trabalho do professor são inúmeras, abrangendo todas as áreas do conhecimento”, enfatizou. Ele ainda acredita que é possível unir a tecnologia digital com os livros e recursos considerados ultrapassados pelos alunos.

“É um desafio casar esses elementos de informação, mas não adianta só dar acesso às tecnologias digitais, é preciso ensinar a criança a pensar criticamente porque ela ainda não sabe peneirar o que é falso   “, pontuou.

Unir a modernidade com o passado não é problema para a aluna Sarah Kore, uma das recordistas em retirada de livros da biblioteca, que lê até três livros por mês. “Amei a inauguração da gibiteca porque amo história em quadrinhos. Gosto de pesquisar na internet, mas complemento as informações com os livros que tenho em casa”, afirmou.

Mix Cultural

Já na escola Nerone Maiolino, os alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) organizaram atividades que variaram de Chá Literário, palestras sobre a história do livro e apresentação de poesias.  A diretora da unidade, Marcele Oliveira, disse que foi a primeira vez que os alunos participaram de um evento desse tipo, por isso buscou unir diversas modalidades culturais para falar de literatura.

Teve declamação do poeta Guimarães Rocha, leitura de textos na biblioteca pelos alunos e até depoimentos de superação, como o da artista plástica Lázara Lessonier. “Nossa ideia era que o aluno fosse o protagonista do evento e o resultado foi muito produtivo porque na EJA o público é muito diversificado, com idades variadas e todos interagiram”, disse.

A técnica da biblioteca da Semed e coordenadora dos eventos, Mirna Santana, destacou que a programação elaborada em parceria com as unidades teve o propósito de promover o acesso a diversas formas de manifestações culturais. “Nosso trabalho visa contribuir  para a construção de uma herança cultural, por isso incentivamos ações diversas”, mencionou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui