GUERRA NA UCRÂNIA: Rússia ataca base militar na fronteira com a Polônia

Rússia pediu ajuda chinesa contra a Ucrânia, diz imprensa; Embaixada da China nos EUA nega

Reportagens da imprensa americana neste domingo relataram que a Rússia pediu ajuda chinesa contra a Ucrânia.

Os jornais “Financial Times” e o “Washington Post” citaram autoridades dos EUA para informar que a Rússia pediu à China equipamentos militares após a invasão da Ucrânia, em 24 de fevereiro.

O porta-voz da embaixada da China em Washington respondeu aos relatos e disse nunca ter ouvido falar disso. Liu Pengyu disse à Reuters que a prioridade da China é evitar que a situação na Ucrânia fique fora de controle.

EUA condenam ataque russo a base militar em Yavoriv

O secretário de Estado americano, Antony Blinken, disse que os EUA condenam o ataque da Rússia a uma base militar em Yaroviv. O ataque, que resultou na morte de 35 pessoas, aproximou os combates da fronteira da Polônia – país-membro da Otan.

“Condenamos o ataque com mísseis da Federação Russa ao Centro Internacional de Manutenção da Paz e Segurança em Yavoriv, ​​perto da fronteira da Ucrânia com a Polônia. A brutalidade deve parar”, disse no Twitter.

Localização da base militar ucraniana perto da Polônia que foi atacada pela Rússia

Localização da base militar ucraniana perto da Polônia que foi atacada pela Rússia (Foto: g1 Mundo)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Líder checheno Kadyrov diz que viajou para a Ucrânia

Ramzan Kadyrov, líder da região russa da Chechênia, disse que viajou para a Ucrânia para visitar as tropas chechenas que atacam Kiev, segundo a Reuters. A agência não pôde verificar de forma independente se ele realmente viajou para a região.

Kadyrov é um aliado próximo de Vladimir Putin e já se descreveu como “soldado de infantaria” de Putin e foi acusado de abusos de direitos humanos pelos EUA e pela União Europeia – o que ele nega.

“O canal de televisão checheno Grozny postou um vídeo em seu canal de mídia social Telegram no início do domingo que mostrava Kadyrov em uma sala escura discutindo com tropas chechenas uma operação militar que eles disseram ter ocorrido a 7 km da capital ucraniana”, reportou a agência.

5,5 mil civis ucranianos retirados no domingo

Mais de 5.550 pessoas foram retiradas das cidades na linha de frente do enfrentamento entre russos e ucranianos, disse a vice-primeira-ministra da Ucrânia, Iryna Vereshchuk, em um vídeo. Eles puderam escapar por nove corredores humanitários. Pelo menos 3.950 foram retirados de vilas e cidades da região de Kiev.

Funcionários de Chernobyl estão exaustos e pararam de fazer reparos de segurança, diz Ucrânia à AIEA

Funcionários que operam instalações de resíduos radioativos em Chernobyl pararam de realizar reparos relacionados à segurança, pois estão esgotados, uma vez que não foram liberados desde que a Rússia tomou o local no mês passado, disse a Ucrânia ao órgão de vigilância nuclear da ONU.

“O regulador ucraniano informou à AIEA que os funcionários de Chernobyl não estavam mais realizando reparos e manutenção de equipamentos relacionados à segurança, em parte devido à fadiga física e psicológica após trabalhar sem parar por quase três semanas”, disse Agência Internacional de Energia Atômica em um comunicado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Jornalista americano relata como foi ataque que matou Brent Renaud

Um jornalista americano foi baleado e ferido por forças russas na cidade de Irpin, na região de Kiev, na Ucrânia. Juan Arredondo contou como foi o ataque e que estava com o renomado jornalista e cineasta Brent Renaud, que morreu.

“Atravessamos um posto de controle e eles começaram a atirar em nós”, disse o repórter. “O motorista voltou e eles continuaram atirando. Somos dois, meu amigo é Brent Renaud e ele foi baleado.”

DESTAQUE

Ucrânia diz que 7 hospitais foram completamente destruídos por bombardeios russos

O ministro da Saúde da Ucrânia, Viktor Lyashko, disse que as forças russas destruíram 7 hospitais ucranianos em bombardeios desde o começo da invasão, em 24 de fevereiro.

“Os ocupantes já destruíram 7 hospitais na Ucrânia que não podem ser reconstruídos”, disse Lyashko em entrevista à agência estatal de notícias da Ucrânia, Ukrinform. “Teremos que construir novos hospitais.”

Ele disse ainda que:

  • 104 unidades de saúde estão danificadas, mas ainda podem ser restauradas
  • 34 ambulâncias foram alvejadas, a maioria delas fora de serviço
  • 6 trabalhadores médicos foram mortos em ataques
  • 12 profissionais da saúde ficaram gravemente feridos

Ministério da Defesa russo divulga vídeo que mostra ataques com drones

O Ministério da Defesa russo publicou um vídeo no domingo (13) que mostra uma aeronave militar não tripulada russa decolando, travando em um alvo terrestre e atingindo-o logo depois na Ucrânia.

FonteAgencias Internacionais