Fundect, CNPq e UCDB assinam termo que garante R$ 7 mi para o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em MS

O Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT), coordenado pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) deverá receber recursos de R$ 7 milhões para serem investidos em pesquisas na área de produção de medicamentos veterinários. Pesquisadores de diversos países participam do projeto.

O primeiro termo de cooperação para liberação de R$ 3,5 milhões foi assinado no final do mês passado pelo reitor da UCDB, padre Ricardo Carlos, e o diretor-presidente interino da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect), professor Márcio de Araújo. Também participa do projeto o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

O INCT da Católica é denominado “Bioinspiration Bioinspir — Bioinspired molecules applied to increase the production and quality of animal protein” e trabalhará com o desenvolvimento de medicamentos “inspirados” em moléculas de origem animal para produção de medicamentos veterinários. O Instituto já iniciou com um banco de dados de peptídeos (pequenas moléculas), com informações sobre plantas, animais e microrganismos e, a partir daí, são analisadas as características de informação para verificar quais as melhores contra bactérias causadoras de doenças como mormo e mastite.

Os trabalhos serão liderados pelo pesquisador Dr. Octávio Luiz Franco. São estimados investimentos de R$ 7 milhões, somando verbas do governo federal, contrapartida do governo estadual, por meio da Fundect, e o investimento em pessoal e infraestrutura da Católica.

No total, são cerca de 220 pesquisadores associados, de 22 países e, somados os alunos, o número de pessoas chega a 400. “Esperamos um reflexo muito positivo na formação de pessoal, desde a graduação. Serão muitos cursos, abertos à participação de todos, bolsas para iniciação científica, pretendemos treinar pessoas e fortalecer a cultura da pesquisa na Instituição e no Estado”, destacou o líder do INCT.

O presidente da Fundect, Márcio de Araújo, ressalta a importância do investimento em ciência e tecnologia. “Pesquisas recentes mostram que cada R$ 1 investido em CT&I gera uma economia de até R$ R$ 9,79 em média aos governos. No quesito educação, para cada R$ 1 de aumento nas despesas em CT&I, a economia no orçamento geral é de R$ 2,03 para cada Estado brasileiro em média”, ressalta Márcio.

Os países envolvidos no grupo de pesquisa são: Estados Unidos, Canadá, México, Colômbia, Cuba, França, Itália, Inglaterra, Holanda, Alemanha, Israel, China, Índia, Cingapura, Camarões, Gana, Austrália, Irã, Portugal, Espanha e Suécia. As parcerias no Estado acontecem entre a UCDB, a Fundect e a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) e Uniderp.