‘Fogo não é mais normal, nem cultural em MS’, afirma titular da Semadesc sobre trabalho contra incêndios

“Fogo não é mais normal nem cultural no Estado. Esta é a primeira ruptura que nós temos que fazer. Então nós vamos trabalhar muito forte neste ano no manejo integrado e prevenção do fogo, combatendo esta prática que não cabe mais na situação atual”. A afirmação foi feita pelo secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Semadesc), Jaime Verruck, durante a abertura do 1º Seminário de Incêndios Florestais 2024 de MS.

O evento começou ontem (21) e acontece no Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo, reunindo instituições como a Semadesc, Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), Corpo de Bombeiros, Cemtec, brigadistas, Ibama, ONGs e representantes da cadeia produtiva da pecuária e florestas para debater a questão dos incêndios florestais.

Durante dois dias os participantes vão debater diversos eixos como: prevenção preparação, resposta, responsabilização e reabilitação ambiental. O seminário é o primeiro de uma série de eventos previstos para ocorrer em 2024 pela Semadesc.

“Desde janeiro o Governo do Estado vem realizando reuniões para discutir a questão dos incêndios florestais. Hoje serão feitas várias discussões técnicas. O Ministério do Meio Ambiente já publicou um decreto de emergência ambiental e nós estamos terminando nossa base técnica para fazer o decreto de emergencia ambiental estadual. Vamos ter uma estrutura de planejamento das atividades”, salientou o secretário Jaime Verruck.

Secretário Jaime Verruck abriu hoje o simpósio sobre incêndios florestais que acontece até amanha em Campo Grande

Ele lembra que dentro das várias metas da Semadesc neste ano de 2024, está a busca de tratar com a sociedade de forma mais direta, as mudanças climáticas que estão cada vez mais sendo sentidas em várias regiões do nosso território.

“Nosso foco este ano é combater os incêndios florestais trabalhando com capacitação e parcerias. Para nós é fundamental a parceria com os produtores rurais, principalmente no Pantanal”, reforçou Verruck.

O Governo do Estado, segundo o secretário está colocando toda a sua estrutura disponível para fazer este combate.

“Temos elementos hoje para poder terminar nosso plano operativo, ampliar a parceria, ver ações de trabalho e como identificar mais rápido as situações. O planejamento é o instrumento mais adequado para que consigamos, de forma conjunta, fazer o combate aos incêndios florestais”, pontuou.

Programação

Durante ontem foram discutidos temas como compensação ambiental, programas do Governo de MS e de entidades internacionais para combate aos incêndios florestais entre outros assuntos.

Já hoje (22) estão na pauta o papel da Embrapa num painel sobre os corredores ecológicos da Lei do Pantanal em vigor e os incêndios florestais; UFMS: o uso do fogo no manejo da vegetação pantaneira; FAMASUL e ABPO: estudo de caso e as iniciativas frente aos incêndios florestais em MS; WETLANDS: Inteligência de fogo em áreas úmidas; IMASUL: os planos de Manejo Integrado do Fogo (PMIF) em áreas particulares de MS; Sistema ÓRION de Inteligência de fogo adotado no Estado do Mato Grosso.

Está previsto ainda uma mesa redonda com integrantes do Comitê do Fogo de MS e suas câmaras técnicas, apresentação de propostas pelos participantes e avaliação do seminário.

Rosana Siqueira, Comunicação Semadesc
Fotos: Mairinco de Pauda

FonteGoverno MS